Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 27 de outubro de 2020
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Novo extintor de veículos será obrigatório em 2005

9 Ago 2004 - 15h56

Todos os veículos que saírem das montadoras em 2005 serão obrigados a ter um extintor de incêndio mais eficiente. Essa é a nova lei aprovada pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contrans) - resolução 157, de 7 de maio deste ano.

Trata-se do extintor com o pó ABC, capaz de apagar princípio de incêndio da classe A (materiais sólidos, como revestimentos, estofamentos, pneus, painéis, tapetes e puxadores).

"O extintor com o pó BC, utilizado hoje para apagar princípios de incêndios por líquidos, como óleo, gasolina, fiação elétrica e bateria do carro, será substituído pelo extintor de incêndio com o pó ABC para garantir maior segurança do motorista", informa o consultor técnico da Associação Brasileira das Indústrias de Equipamentos Contra Incêndio (Abiex), Otávio Oliva.

De acordo com o consultor, a substituição será gradual, mas já começa em janeiro de 2005 nas montadoras. "Os veículos usados (também caminhões e ônibus) terão prazo até dezembro de 2009 para substituir o equipamento. Já em novembro de 2004, os extintores com o pó BC deixarão de ser fabricados. Só serão mantidos no mercado os recondicionados", disse Oliva.

O novo extintor pode ser comprado atualmente em diversos pontos de venda, como postos de gasolina e lojas de extintores ao custo de R$ 50 a R$ 60. "O novo produto tem uma validade de cinco anos e não é recarregável. Terminou, compra outro", disse Oliva.

Questionado sobre a diferença de preço entre o BC (R$ 35) e o ABC, Oliva enfatizou que o extintor já vem da montadora e não acarretará mais custos aos motoristas. "Mas, o preço do extintor será equivalente ao antigo, uma vez que a garantia do antigo vale três anos."

O novo produto foi apresentado esta segunda-feira pela Abiex e pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) no campo de prova de fogo da Cidade Universitária, Universidade de São Paulo (USP).

O extintor ABC pesa 1 Kg para veículos de passeio e de 3 Kg e 4Kg para ônibus e caminhões.

A mudança surgiu de um estudo de três anos do Ipen, Abiex, Anfavea e Inmetro, que acreditam que o equipamento deve ser modelado para maior segurança do motorista. O ABC existe há 30 anos.

 

Invertia

Deixe seu Comentário

Leia Também

BARBÁRIE
Marido mata mulher a facadas dentro de casa durante almoço de domingo
CAPOTAMENTO
Carro capota várias vezes ao fazer curva na MT-412 e mata fotógrafo
BRASIL - 157.134 MORTES
Brasil acumula 5,3 milhões de casos e 157 mil mortes por covid-19
AJUDA FINANCEIRA
Caixa paga 2ª parcela de R$ 300 da extensão do auxílio emergencial
SIM A VIDA
Brasil se une a Egito, Indonésia, Uganda, Hungria e EUA em declaração contra o aborto
Invasão em residência acaba morador morto por tiro acidental TRAGÉDIA NA FAMILIA
Homem mata o próprio irmão ao atirar em invasor de residência
GUERRA DA VACINA
Bolsonaro diz que não comprará vacina chinesa, mesmo se aprovada pela Anvisa
Motorista da carreta diz que ainda tentou desviar, mas não conseguiu DOENÇA DO SÉCULO
Menor pega carro escondido, joga contra carreta e morre na hora
BRASIL - 155.403 MORTES
Covid-19: Brasil tem 24.818 novos casos em 24 horas
AJUDA
Caixa Econômica paga auxílio emergencial para 5,2 milhões de beneficiários