Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quarta, 19 de janeiro de 2022
Busca
Brasil

Nova modalidade paraolímpica melhora auto-estima dos atletas

19 Fev 2010 - 06h15Por Governo do Estado de Mato Grosso do Sul

A Secretaria de Estado de Educação (SED), por meio do Comitê da Cultura e Esporte Escolar (Cocesp/SED), e a Associação Campograndense Paradesportiva Driblando as Diferenças (ADD), lançaram ontem (18) uma nova modalidade esportiva do atletismo paraolímpico – a Petra. O lançamento feito pela ADD aconteceu ontem à tarde no pátio do Sesc Camilo Boni.
 
A Petra é uma modalidade paradesportiva, criada na Dinamarca, feita especialmente para atletas das classes funcionais CP1, CP2 E CP3 – cadeirante que possui paralisia cerebral.

A nova modalidade consiste na armação de três rodas (tricicleta) anexadas a um suporte para o corpo que possui um apoio para o peito do esportista, porém não existe pedal para armação e o atleta corre com os próprios pés.
        
“Além do benefício físico como o fortalecimento muscular, melhoria da coordenação motora e a capacidade de locomoção independente, a Petra melhora a auto-estima do atleta e dá possibilidades de sair da sua cadeira, para poder se locomover melhor”, destaca o vice-presidente da ADD e o responsável pelo esporte de alunos com deficiência da Rede Estadual de Educação, Silas Silvestre.
 
Silas também destaca a possibilidade de os atletas competirem em nível nacional nessa nova modalidade. “A intenção da associação é poder introduzir essa nova modalidade aqui em Campo Grande, para que os atletas interessados possam competir representando o Estado”, completa.

Para a atleta da ADD, Suellem Ribas, de 26 anos, a Petra é uma nova modalidade que além de melhorar o condicionamento do corpo, dá uma sensação de liberdade para o cadeirante. “

A sensação é muito boa, me senti livre. Agora eu posso me locomover e até correr, isso é que é o melhor”, diz a atleta da ADD, que possui paralisia cerebral.
        
O lançamento da nova modalidade hoje à tarde no Sesc Camilo Boni contou com a presença dos atletas e professores da Associação Driblando as Diferenças (ADD).

ADD
A associação, que conta com cerca de 70  atletas em nível de competição, alguns já convocados para compor a Seleção Brasileira, e cerca de 130 atletas em nível de iniciação esportiva, é um projeto que visa promover a  inclusão social por meio de um programa de treinamento sistematizado e de competições esportivas para atletas com deficiência física, intelectual e visual.
 
Em parceria com a Fundesporte, a ADD realiza projetos para pessoas com deficiência, como o Projeto Esporte Adaptado da Coordenadoria de Esporte, Artes e Cultura (Ceac) da  Secretaria Municipal de Educação (Semed);  da Fundação Municipal de Esporte (Funesp); do Projeto Paraolímpicos do  Comitê da Cultura e Esporte Escolar (Cocesp), vinculado à da SED.
 
As modalidades esportivas desenvolvidas pela ADD são: Atletismo, Bocha Paraolímpica, futebol de sete, natação, tênis de mesa paraolímpico e Polybat, que é a variação do tênis de mesa.
 


Leia Também

BAIXA RENDA
Auxílio Gás: governo libera o pagamento no valor de R$ 52
COVID NO BRASIL
Covid-19: Brasil tem um aumento e registra 351 mortes em 24 horas
OMICRON
Brasil dobra contágio nas 24h e registra 74,1 mil novos casos de covid-19 e 121 mortes
LIÇÕES DA BIBLIA
Carne e Sangue como nós
ABUSO SEXUAL
Meninas escutam mãe contando de abuso sexual e fazem relato chocante sobre tio-avô
COVID NO BRASIL
Em 24 horas, foram confirmados pelas autoridades sanitárias 24.934 novos casos de Covid-19
TRAGÉDIA NA FAMILIA
Jovem morre após ser atingido por avião agrícola pilotado pelo pai
TEMPORAL - VIDEO
Forte chuva derruba árvores e deixa 23 mil pessoas sem energia
COVID NO BRASIL
Em 24 horas, as autoridades de saúde notificaram 175 novos óbitos, totalizando 620.971
TRAGÉDIA
Deslizamento de terra destroi casarão histórico em Ouro Preto MG