Menu
SADER_FULL
sexta, 14 de maio de 2021
Busca
Brasil

Nova lei dá a militares poder de polícia na fronteira

6 Ago 2010 - 09h58Por Diário MS
As ações de combate às atividades criminosas na fronteira de Mato Grosso do Sul com Paraguai devem ganhar um importante reforço nos próximos dias. A partir de agora, as Forças Armadas terão poder para atuar como polícia nas regiões de fronteira.
Isso porque o plenário do Senado aprovou na quarta-feira um projeto de lei que dá maior poder para as Forças Armadas nas regiões de fronteira e em áreas específicas, como reservas indígenas. O projeto já passou pela Câmara dos Deputados e segue, agora, para sanção presidencial.
A proposta permite que as Forças Armadas façam patrulhamento, revistem de pessoas, veículos, embarcações e aeronaves e efetue prisões em flagrante nas áreas especificadas. Até então, esse tipo de atuação se restringia a apoio logístico às ações da PF (Polícia Federal).
O objetivo é de combater o tráfico de drogas e contrabando de mercadorias. Estas atividades poderão ser realizadas tanto nas fronteiras terrestres quanto nas marítimas. O projeto também retira do presidente da República o poder de indicar comandantes do Exército, da Aeronáutica e da Marinha, e atribui a responsabilidade ao ministro da Defesa.
Na fronteira entre Brasil e Paraguai, a iniciativa é tida como bem-vinda, principalmente porque possibilita a intensificação do patrulhamento no trecho de fronteira seca entre Mato Grosso do Sul e o Paraguai, local onde há tempos se sabe que os efetivos da PF e demais corporações são insuficientes para cobrir toda a faixa fronteiriça.
Para se ter uma ideia, a fronteira seca é, atualmente, a maior porta de passagem para a entrada de entorpecentes como maconha, crack e cocaína, e armamentos que abastecem as grandes quadrilhas do eixo Rio-São Paulo, todas elas, com “filiais” nas imediações de Pedro Juan Caballero e Capitán Bado, cidades paraguaias que fazem fronteira com MS.
No mês passado, o Chefe do Estado Maior do Exército, General Fernando Sérgio Galvão, esteve no Estado para tratar do processo de reestruturação e modernização das unidades militares do Estado, principalmente na região de fronteira com o Paraguai.
Dentro do processo de modernização do Exército está previsto um grande volume de investimentos ao longo dos próximos anos no Estado. A 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada, de Dourados, por exemplo, deverá receber ainda neste ano as obras de construção do novo quartel da 14ª Companhia de Comunicação, em Dourados. O prédio vai custar de R$ 5 milhões a R$ 7 milhões e deverá facilitar o desenvolvimento do trabalho de comunicação na região de fronteira, interligando todas as unidades subordinadas a “Brigada Guaicurus”.
Nos últimos anos, a 4ª Brigada tem se consolidado como um importante mecanismo de operações no combate as atividades criminosas na região de fronteira com Paraguai, desenvolvendo um importante trabalho de levantamento e fiscalização das ações criminosas (tráfico de drogas, contrabando e descaminho) características da faixa de fronteiriça com o Paraguai.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SONHO INTERROMPIDO
Agente educacional morta em ataque a creche em Saudades queria fazer intercâmbio no Canadá
PESQUISA PRESIDENCIAL
Datafolha mostra Lula disparado na corrida eleitoral
NOVA INFECÇÃO
Covid-19: após 3 semanas de queda, casos de coronavírus avançam no Brasil puxados por 9 Estados
TRISTEZA NA FAMILIA
Seis pessoas da mesma familia morrem vítimas da Covid-19
NOVAS REGRAS
WhatsApp: o que acontece se você não aceitar novas regras do aplicativo até 15 de maio
FAMOSIDADES
Pai da campeã do 'BBB 21' Juliette vive em casinha de barro na Paraíba
CACHAÇA
Jovem enfia garrafa no ânus durante bebedeira e vai parar no hospital
ESCALADA DA VIOLÊNCIA
Operação mais letal da história deixa 25 mortos no Jacarezinho
VITIMA DO MASSACRE
'Fiquei vendo costurarem os ferimentos. Chorava, orava e agradecia por ele estar vivo, diz mãe
FRIO - FÁTIMA DO SUL NOVA ONDA DE FRIO
Frio de origem polar começa a ser sentido novamente e terá geada