Menu
SADER_FULL
terça, 29 de setembro de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Normas publicadas em 2011 atacam risco cardíaco da químio

5 Nov 2010 - 06h00Por Folha Online

Imagine sobreviver a um câncer mas descobrir logo depois que a quimioterapia causou danos ao coração e que você pode morrer por isso? Em torno de 10% dos pacientes oncológicos correm esse risco, mas até hoje não havia regras claras e reunidas em um só documento sobre como tratar os doentes.

O Brasil criou as primeiras diretrizes mundiais sobre o atendimento cardíaco a pacientes oncológicos. As normas estão sendo editadas pela SBC (Sociedade Brasileira de Cardiologia) e por oncologistas e deverão ser publicadas no início de 2011.

Os médicos vivem num impasse. Se, por um lado, alguns desses remédios são altamente eficientes no controle e no tratamento de diversos tipos de câncer, por outro, são tóxicos ao coração.

Um dos efeitos mais graves é a cardiomiopatia, que causa um enfraquecimento do músculo do coração e leva à insuficiência cardíaca e, em última instância, à morte.

Estudos internacionais mostram que os pacientes que passaram por tratamentos de câncer têm até 30% mais chances de desenvolver o problema do que a população em geral.

Segundo o cardiologista Ricardo Kalil Filho, um dos coordenadores das novas diretrizes, no documento haverá uma lista dos quimioterápicos que podem causar efeitos nocivos ao coração e as recomendações sobre como os médicos devem tratar esses pacientes.

Entre os quimioterápicos cardiotóxicos estão as antraciclinas e o trastuzumab, para tumores de mama.

"Estamos detalhando tudo. Tal droga causa infarto, a outra, insuficiência cardíaca e assim por diante", diz Kalil.

Ele explica que o médico será orientado a solicitar um ecocardiograma ao paciente dois meses depois do início da quimioterapia.

Se o músculo do coração apresentar deficiência, o cardiologista entra na jogada e, junto com o oncologista, define a mudança do remédio, a diminuição da dose ou a indicação de drogas que melhorem o músculo cardíaco.

"Todo dia vejo paciente oncológico com arritmia, infartando", diz ele, que atua no InCor (Instituto do Coração) e no Sírio-Libanês.

Para o oncologista Paulo Hoff, diretor clínico do Icesp (Instituto do Câncer de São Paulo), as diretrizes vão facilitar a vida do médico no sentido de orientá-lo a garantir o controle do câncer com menos chances de complicações cardiovasculares.

"Quando o câncer não tinha nenhuma expectativa de cura, você aceitava qualquer efeito colateral para prolongar a vida. Mas agora, com a possibilidade de cura, a gente tem que pensar em 10, 15, 20 anos para frente e tentar evitar ao máximo os efeitos cardiotóxicos", conta Hoff.

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, diz que o SUS será um dos grandes usuários das diretrizes, já que é responsável pelo atendimento de 80% dos tratamentos de câncer no Brasil. "Elas serão de muita utilidade na rede de hospitais", afirmou ele, em evento no InCor.

INTERESSE MUNDIAL

O interesse sobre os efeitos dos quimioterápicos no coração é mundial. Recentemente, a Universidade de Harvard anunciou que abrirá um novo programa cardio-oncológico para estudar as terapias mais indicadas no tratamento dos danos cardíacos.

Nos EUA, há outras iniciativas isoladas. Há três anos, um grupo de cardiologistas e oncologistas da Universidade de Minnesota abriu uma clínica com esse foco. "Desde que estamos trabalhando juntos, nenhum dos nossos pacientes apresentou sinais de insuficiência cardíaca", disse à Folha o cardiologista Steven Heifetz.

Ele afirma que vem usando medicamentos, como o Carvediol, para prevenir danos ao músculo cardíaco, mas reconhece que ainda é cedo para afirmar o efeito cardioprotetor a longo prazo.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Motorista registrou a travessia de uma jiboia na avenida Ayrton Senna, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. FORA DO HABITAT
VÍDEO: motorista flagra jiboia cruzando pista de avenida no RJ: 'olha isso'
Só queria que me entendessem sem preconceito! PRECONCEITO
Jovem é expulso de casa ao assumir namoro com mulher trans
Yan e um comparsa renderam mãe e filha na rua CRIMINOSO
Bandido morto pela PM arrancou família de carro e agrediu mulher uma semana antes
O diesel não sofreu reajuste. + ALTA
Gasolina sobe 4% nas refinarias, anuncia Petrobras
O total de mortes causadas por covid-19 chega a 138.108, um acréscimo de 0,6% sobre a soma de segunda Saúde
Covid-19: Brasil tem 33,5 mil novos casos e 836 mortes em 24 horas
HERANÇA PORTUGUESA
A herança portuguesa na vida cotidiana do Brasil
Os beneficiários nascidos em janeiro  3,9 milhões de pessoas  poderão sacar AJUDA FINANCEIRA
Caixa paga nova parcela do auxílio emergencial para 5,6 milhões de pessoas
o maior programa de assistência aos mais pobres no Brasil e talvez um dos maiores do mundo PRESIDENTE NA ONU
Bolsonaro diz que brasileiros receberam mil dólares de auxílio
Imagem: Reprodução/Balanço Geral Londrina FUGA EM MASSA
Presos fogem de cadeia após surto de Covid-19
Material estava dentro de uma bexiga e enrolado com fita isolante PROFUNDEZAS DO CRIME
8 celulares e outros materiais são retirados do ânus de preso