Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sexta, 14 de agosto de 2020
SADER_FULL
Busca
BANNER ECO TOUR
Brasil

Negociação com professores pode gerar 1ª greve do Governo André

3 Mai 2007 - 17h30
A declaração do governador André Puccinelli (PMDB) de que não vai conceder reajuste salarial aos 63 mil servidores estaduais neste ano pode provocar a primeira greve-geral do funcionalismo estadual na atual administração. A ameaça começou a ganhar força com a mobilização dos sindicatos que representam os servidores, como a Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul) e o Sindsad (Sindicato dos Servidores das Secretarias de Trabalho , Assistência Social e Economia Solidária, de Saúde e de Administração ), que já buscam, primeiramente, um diálogo com o governo do Estado para só depois partir para a radicalização no caso de as negociações não avançarem.

Ontem o presidente do Sindsad, Eduardo Ferreira Bittencourt, disse que a princípio o governadordeveria chamar as entidades representantes do funcionalismo para conversar em vez de avisar que não pretende conceder reajuste salarial em 2007. Hoje foi a vez do presidente da Fetems, Jaime Teixeira, deixar claro, após reunião com os secretários estaduais Mário Sérgio Lorenzeto (Fazenda), Thiê Igushi (Administração) e Nilene Badeca (Educação), que a categoria não aceitará ficar sem aumento salarial neste ano e exige pelo menos a reposição da inflação do período – que seria de 3,02%, conforme ao IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) dos últimos 12 meses.

“Na reunião de hoje deixamos claro que não vamos abrir mão da reposição salarial para recuperar as perdas com a inflação. Até porque, defasagem de inflação não é reajuste salarial, é o mínimo que o Estado pode fazer”, salientou Jaime Teixeira, completando que a reposição salarial exigida pela categoria “é um dever do Estado” para recuperar o poder aquisitivo do servidor público estadual.

Jaime destacou que os professores vão lutar para que essa correção da inflação seja liberada já na data-base da categoria que é neste mês. De acordo com ele, a Fetems possui extensas pautas de reivindicações para serem tratadas com o governo do Estado no decorrer deste ano com questões que se referem a assuntos administrativos, salariais e pedagógicos.

Nos próximos dias, uma nova reunião deve ser realizada com o secretariado de André Puccinelli para discutir questões relativas à classe educacional, mas ainda não há uma data agendada. “Esta foi a primeira reunião de uma série que ainda vamos ter com o governo estadual”, informou Jaime, sem adiantar se a categoria já estaria preparando uma greve para pressionar o governo do Estado.
 
 
Mídia Max
 

Deixe seu Comentário

Leia Também

HORÓSCOPO DO DIA
HORÓSCOPO DO DIA: Veja a previsão de hoje 14/08/2020 para o seu signo
CARA DE PAU
Cliente põe o próprio cabelo em lanche e tenta não pagar. VEJA O VÍDEO
VIOLENCIA DOMESTICA
Veterinária é agredida por ex-namorado médico e diz que tem medo de dormir em casa
FRANGO COM CORONAVIRUS
Frango brasileiro com coronavírus preocupa e acende alerta a produtores de aves de MS
HORÓSCOPO DO DIA
Horóscopo de quinta-feira 13 de agosto de 2020
FÁTIMA DO SUL - VAMOS ADOTAR UM PET
Oi eu sou a Maya!, você não quer me adotar?, veja como fazer a adoção pela ONG em Fátima do Sul
FATALIDADE
Adolescente morre após encostar em carregador que estava na tomada
BORA PRA BONITO - MS
Os 10 melhores passeios em Bonito, Mato Grosso do Sul
COVID-19
Em sessão remota, Eduardo Rocha pede um minuto de silêncio pelas mais de 100 mil mortes por covid-19
AUXILIO EMERGENCIAL
Caixa paga auxílio emergencial a nascidos em julho nesta quarta-feira