Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
segunda, 26 de outubro de 2020
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Naviraí desponta como complexo industrial

3 Ago 2004 - 10h08
Uma boa localização geográfica, apoio do poder público e a vontade do setor privado em investir. Esses são os três fatores que estão ajudando a mudar a economia de uma pequena cidade na região do sul do estado. Naviraí.

A cidade que cresceu em torno de uma praça ganhou novos horizontes com a criação do complexo industrial. Nos últimos seis anos, 25 indústrias se instalaram em Naviraí, região sul do estado. O terreno e o galpão são doados pelo poder público. A localização geográfica é um atrativo a mais. Naviraí fica a 60 quilômetros do Paraná. O estado vizinho também é mercado consumidor.

O programa de industrialização praticado em Naviraí estimula a transformação de produtos primários. A cana-de-açúcar vai para a usina, onde vira álcool e açúcar. O bagaço da cana é transformado em energia para o consumo da própria indústria. Médios e pequenos empresários também encontraram espaço na cidade. A confecção produz cerca de dezoito mil peças de roupas por mês e emprega 22 pessoas. O produto é vendido a lojas de todo o estado.

O que mais chama a atenção no processo de industrialização de Naviraí é a diversidade de produtos fabricados. Tem até indústria ecologicamente correta. Embalagens de plástico não vão mais para o lixo. Passam por um processo de reciclagem.

Todos os meses, 25 mil quilos de plástico são separados, derretidos, processados e transformados em mangueiras. O material - usado na construção civil - é vendido em várias regiões do estado. A fábrica é uma das tantas que trouxeram esperança a quem procura emprego na região. Há três meses, Luzinete de Souza foi contratada pra ocupar um cargo de responsabilidade: o de coordenadora da separação de plástico. Oportunidade que as indústrias estão trazendo pra naviraí.

Aumentar a produção está nos planos da fábrica de mangueiras. Mais trabalho, mais vagas abertas.

O beneficiamento de produtos agrícolas é outra atividade em expansão na região de Naviraí. Só uma cooperativa produz trezentas toneladas de fios de pluma de algodão por mês e vende para indústrias têxteis de São Paulo e Santa Catarina.

Comentário

Para o comentarista econômico, Ido Michels, “nós sempre tratamos de cidades pólos como Campo Grande, Três Lagoas, Dourados e Corumbá. Mas há outras cidades - menores - com potencial de crescimento. Naviraí é um bom exemplo, de como cidades médias e pequenas podem encontrar seu eixo de desenvolvimento.

Distribuídos praticamente por todas as regiões do Estado, oito municípios vêm se destacando como novos pólos de crescimento econômico e social em Mato Grosso do Sul.

Além de Naviraí, sul do Estado com a industrialização, temos:
Ao norte, São Gabriel D´Oeste, sustentado pela da soja, milho e suínos. Chapadão do sul, nordeste de Mato Grosso do Sul, na divisa com Goiás desenvolve-se com base no algodão e na soja.

Na região central, bonito com o turismo é a cidade que mais cresce em Mato Grosso do Sul. A atividade turística levou o município a ter maior renda per capta do Brasil em 2002.

Ainda nesta região temos, os municípios de Jardim que vem despontando nos serviços, turismo e artesanato. Maracaju se destaca na agricultura com o cultivo da soja, sem esquecer é claro da deliciosa lingüiça de Maracaju.

Nas outras regiões temos mais dois destaques. Na região leste, divisa com São Paulo, Nova Andradina, se desenvolve com base no abate e preparação da carne bovina.

Finalmente a sudoeste, temos Ponta Porã, sustentada pelo comércio e serviços e toda uma infinidade de relações que se desenvolvem na fronteira com o Paraguai.

O desenvolvimento é resultado da soma dos dois. Os investimentos diretos, são em sua maioria do setor privado. São os empresários que avaliam as oportunidades existentes nos mercados, e investem na produção de bens e serviços desejados pelos consumidores locais, nacionais e mesmo internacionais.

O poder público tem um papel importante, criar as condições atrativas e seguras para os investimentos privados. Além disso, pode e deve apoiar a iniciativa privada auxiliando na infra-estrutura - transporte e energia, por exemplo, e na qualificação e requalificação profissional dos trabalhadores.

A união da iniciativa privada, com o apoio do poder público, nas três esferas - municipal, estadual e federal -, juntamente com o treinamento dos trabalhadores para essas novas atividades são a razão maior do desenvolvimento desses municípios”.

 

RMT Online


Deixe seu Comentário

Leia Também

SIM A VIDA
Brasil se une a Egito, Indonésia, Uganda, Hungria e EUA em declaração contra o aborto
Invasão em residência acaba morador morto por tiro acidental TRAGÉDIA NA FAMILIA
Homem mata o próprio irmão ao atirar em invasor de residência
GUERRA DA VACINA
Bolsonaro diz que não comprará vacina chinesa, mesmo se aprovada pela Anvisa
Motorista da carreta diz que ainda tentou desviar, mas não conseguiu DOENÇA DO SÉCULO
Menor pega carro escondido, joga contra carreta e morre na hora
BRASIL - 155.403 MORTES
Covid-19: Brasil tem 24.818 novos casos em 24 horas
AJUDA
Caixa Econômica paga auxílio emergencial para 5,2 milhões de beneficiários
CORONAVIRUS
Morre voluntário brasileiro que participava de testes da vacina de Oxford
MORTE SUBITA
Idoso morre em voo de Cuiabá para SP; avião faz pouso de emergência
BRASIL - 154.176 MORTES
Covid-19: Brasil tem mais 271 óbitos e 15.383 novos casos em 24h
TRAGÉDIA NA CIDADE
Acidente entre trem e e micro-ônibus deixa uma mulher morta e feridos