Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 13 de abril de 2021
SADER_FULL
Busca
Brasil

Mulher mais idosa do Brasil morre em Cuiabá

27 Jul 2004 - 17h39
Faleceu hoje à tarde em Cuiabá, a mulher mais idosa do Brasil, Ana Martinha da Silva. Aos 123 anos, ela já tinha sido reconhecida pelo RankBrasil, o livro brasileiro dos recordes, como a mulher mais velha do país, e os documentos dela já tinham sido enviados ao Reino Unido, visando o reconhecimento também do Guiness Book.

Ana Martinha foi registrada em Chapada dos Guimarães, em 25 de agosto de 1880, conforme sua certidão de nascimento. Ela contava, no entanto, ter nascido quatro anos antes, em 1876. Filha de escravos, chegou a presenciar a libertação dos pais. Teve nove filhos e uma vida pobre, mantendo a lucidez até o fim. Nos últimos anos, conseguiu receber do governo do Estado uma pensão e uma casa no Pedra 90, por meio da atuação da Associação de Mulheres de Negócios (BPW Cuiabá).

A família aguarda a liberação do corpo na Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá, onde Ana Martinha estava internada com pneumonia. O local do velório e sepultamento ainda não foram definidos.
 
 
RMT Online

Deixe seu Comentário

Leia Também

EXEMPLAR
Cidade modelo que vacinou 64% da população vê casos de covid-19 caírem 78%.
NOVO CÓDIGO DE TRANSITO
Novo Código de Trânsito entra em vigor na segunda-feira; veja mudanças
LOCKDOWN É A SOLUÇÃO?
Araraquara X Bauru: dois retratos do Brasil com e sem lockdown contra a covid-19
AGRICULTURA SUSTENTAVEL NO MUNDO
II Congresso Mundial de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta deve receber 1 mil inscrições
MORTANDADE
Brasil bate marca de 4 mil mortes por Covid registradas em um dia pela 1ª vez
COPA LIBERTADORES
Santos vence o San Lorenzo na Argentina e abre vantagem por vaga nos grupos da Libertadores
FATALIDADE
Técnico de informática morre após levar choque a partir de fone de ouvido
CANALHA
Pai comete estupro e diz que filha precisa saber "como é ter um homem"
SOB INVESTIGAÇÃO
Cantor gospel e pastor é encontrado morto e amarrado em árvore
CONTAMINAÇÃO
Igrejas superam mercado e consultório médico em risco de transmissão de Covid-19, aponta estudo