Menu
SADER_FULL
domingo, 5 de dezembro de 2021
ASSEMBLEIA DEZEMBRO 2021
Busca
Brasil

MS tem mais casos de dengue em janeiro que no ano de 2009

3 Fev 2010 - 08h39Por MS Notícias

Dados epidemiológicos da dengue divulgados pela Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) de Campo Grande (MS) indicam que o número de casos notificados em janeiro deste ano superam os registros de 2009. Na cidade, de 750 mil habitantes, foram notificados, de 1º a 31 de janeiro, 5.583 suspeitas, uma média de 180 casos diários. O número é maior que o do ano passado inteiro, em que foram registradas 5.179 ocorrências. A média até agora de 2010 já é 12,85 vezes a de 2009.

De acordo com a Seasu, das 5,5 mil notificações, apenas 31 foram descartadas e 120 foram confirmadas até agora. O estudo conta ainda que oito casos têm sido investigados como suspeita de dengue hemorrágica, um estágio da doença que pode matar o paciente se não tratado logo.

Um rapaz de 22 anos morreu na cidade com sintomas parecidos ao da dengue hemorrágica, mas o exame que deve revelar o motivo da morte ainda não ficou pronto.

A coordenadora de Vigilância Sanitária da Sesau, Ana Lúcia Lyrio, disse que existem motivos que apontam para a alta da doença, já tida como uma epidemia. Um deles tem a ver com a eficiência do inseticida usado para matar o mosquito Aedes Aegypti, o transmissor da dengue. Ela afirma que o inseto possa ter desenvolvido uma resistência ao produto e, com isso, a dedetização da dengue não estaria combatendo os mosquitos. Um novo inseticida enviado pelo Ministério de Saúde é testado pela secretaria, segundo Ana Lúcia.

Em setembro do ano passado, o inseticida produzido para atacar as larvas do inseto, também foi trocado por conta da ineficiência. "Esse é um indicador que justificaria o aumento nas notificações", disse a coordenadora de vigilância do município.

O aumento no volume de chuva que atingiu a cidade em janeiro, é apontado como outra razão do crescimento nos casos da doença. Ela disse ainda que este ano, com a chuva e a alta temperatura, característica da região, surgiram na cidade novos tipos de dengue, contaminando ainda mais pacientes.

De quatro anos para cá, as notificações de ocorrências de dengue em Campo Grande bateram um recorde histórico em 2007 quando foram registrados 45 mil casos, média de 3.750 suspeitas por mês. Já em 2006, foram notificados 5.550 casos, 2.525 dos quais confirmaram a doença. Naquele ano, duas das quatro pessoas contaminadas pela dengue hemorrágica morreram.

Em 2007 duas pessoas morreram da relação de 69 que ficaram doentes com a dengue hemorrágica. No ano seguinte, em 2008, a doença deu uma trégua se comparados ao ano anterior, segundo relatório da Sesau. Foram notificados 1.776 casos e 211 foram confirmados. Ninguém morreu e uma pessoa teve a dengue hemorrágica.

Já no ano passado, 2009, dos 5.179 registros de notificações, 2.036 foram confirmadas. Cerca de 11 pessoas contraíram o tipo da doença hemorrágica e, dentre elas, duas morreram.

Leia Também

covid_04.12 COVID NO BRASIL
Covid-19: país tem 22,1 milhões de casos e 615,5 mil mortes
LIÇÕES DA BIBLIA
Deuteronômio em escritos posteriores
ABUSO DE AUTORIDADE
PM arrasta homem negro algemado em moto; "Como na escravidão", diz gravação
REVOLTANTE
Índia de 13 anos violentada pelo avô busca ajuda e acaba estuprada por 4 em unidade saúde
DOENTIO
Mulher descongela geladeira e encontra corpo de bebê escondido em sacola
PONTE BIOCEÂNICA
Ponte Bioceânica vai ganhar nova data de lançamento; Bolsonaro e Marito participam
AÇÕES DO GOVERNO MS
Com estados da região Sul, Azambuja quer integração ferroviária e união para redução de carbono
PIX SAQUE
Pix Saque começa hoje:comércio vê nova ferramenta como chamariz para clientes,mas teme por segurança
TRAGÉDIA NA LINHA DO TREM
vítima comemorou aniversário do marido um dia antes de morrer com a filha em acidente com trem
COVID NO BRASIL
Covid-19: Brasil registra 229 óbitos e 9,2 mil novos casos