Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
domingo, 23 de fevereiro de 2020
SADER_FULL
Busca
Brasil

MS reage e fecha leilão do PEP de milho com resultado positivo

9 Jun 2010 - 10h09Por Fátima News com Assessoria

O segundo leilão do Prêmio de Escoamento de Produto (PEP) de milho, que ocorreu hoje (08) apresentou resultado positivo para Mato Grosso do Sul. O Estado ofertou no último leilão 80 mil toneladas e conseguiu negociar somente 13 mil, dessa vez ofertou a mesma quantidade e negociou 55 mil toneladas. Em virtude do primeiro resultado, a Federação de Agricultura e Pecuária de MS (Famasul) e a Associação dos Produtores de Soja (Aprosoja) solicitaram ao governo do Estado a flexibilização tributária sobre o milho, de modo a tornar atrativo às empresas compradoras os leilões do produto realizado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). O pedido foi feito durante reunião entre as entidades e governo no dia 1 de junho.

O superintendente da Conab no Estado, Sérgio Rios, acredita que a evolução se deve a discussão entre Famasul, Aprosoja e governo do Estado em garantir que os preços sejam mais atrativos e o produto seja ofertado com mais facilidade. Porém o dirigente ressalta a importância das discussões prosseguirem. “Apesar do resultado ter sido melhor em relação ao primeiro é preciso melhorar muito mais. A relação entre o preço de mercado e preço mínimo está muito distante, precisamos atingir um teto, assim como os demais estados tem conseguido”, aponta. Ele ainda ressalta: “Apesar da aliquota ter baixado o preço ainda não dá margem”, conclui. Nesse último leilão foram ofertados 11 lotes originários dos estados de Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Minas Gerais e Paraná, que somam 1 milhão de toneladas, sendo que 63,1 mil ton foi negociado e em apenas quatro lotes negociou-se o que foi ofertado.

Para o presidente da Famasul, Eduardo Corrêa Riedel, o resultado mostra que houve um avanço, porém é ainda é preciso melhorar. “Foi dado o primeiro passo, mas nosso produto deve se tornar ainda mais atrativo e competitivo. A formação do preço depende de ações tributárias do Estado e do custo do prêmio por parte do governo federal”, avalia. 

Acordo

Foi proposto pelo governador André Puccinellui à Famasul e Aprosoja que será praticado equivalência de 40% de produto tributado para a comercialização nos leilões da Conab, via PEP. A equivalência significa o percentual sobre o qual será cobrado o imposto sobre o milho leiloado. Contrariando a Lei Kandir, que garante a isenção de tributos para produtos primários destinados à exportação, a legislação estadual em vigor prevê que para cada tonelada exportada, a mesma quantidade seja vendida no mercado interno.

Outra proposta apresentada é de que o Estado seja dividido em três regiões com valores distintos de prêmio - ou seja, o valor que o Governo Federal repassa aos compradores nos leilões via PEP. Atualmente, o valor do prêmio pago no Estado é um só, desconsiderando a logística necessária para escoamento do produto. Essa seria outra medida que visa tornar os arremates de MS atrativos às empresas compradoras. As entidades já solicitaram ao Mapa que a divisão seja feita e que o prêmio seja adequado a realidade de mercado atual do milho.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CARNAVAL E TURISMO
Carnaval: Veja 6 destinos para descansar e contemplar as belezas de MS
VICENTINA - RAÇA NEGRA TÁ VINDO
Em noite de Feira Livre, prefeito surpreende e anuncia Raça Negra para o aniversário de Vicentina
TURISMO NO MS
Descubra a beleza das praias de água doce para curtir o Carnaval em MS
CARNAVAL 2020
Por WhatsApp, Witzel convida Bolsonaro para assistir a desfiles do carnaval no seu camarote
DICAS DE SEGURANÇA
Saia de viagem neste feriado e deixe sua casa segura com as dicas da Polícia Civil
GUGU LIBERATO
Defesa diz que Gugu Liberato deu 500 mil dólares a Rose Miriam e mansão de R$ 6 mi
LUTO NO CINEMA
Morre aos 83 anos José Mojica Marins, o lendário Zé do Caixão
FAMOSIDADES
Pós-parto: Andressa Miranda faz revelações sobre sexo com Thammy Miranda
CONCURSO DO EXERCITO
Concurso Exército: Saiu o edital com 1.100 vagas para nível médio
BOLSONARO
Bolsonaro diz que imprensa poderia ser um partido: ''Ia ficar à esquerda''