Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sexta, 30 de outubro de 2020
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

MS pode ganhar hospitais para tratar dependentes químicos

2 Jun 2010 - 12h59Por MS Notícias

Mato Grosso do Sul poderá ganhar hospitais para o tratamento de dependentes químicos. O líder do PR na Assembleia Legislativa, deputado Antônio Carlos Arroyo, apresentou o projeto de lei que autoriza o Poder Executivo a implantar e instalar as unidades hospitalares, através da Secretaria Estadual de Saúde.

O desenvolvimento do programa específica de tratamento dos usuários de drogas poderá ser por meio de convênios com entidades públicas e particulares. Pela proposta, o tratamento deverá ser com aplicação terapêutica médica, psicológica, psiquiátrica, com a internação de pacientes e tratamento ambulatorial. O Poder Executivo também poderá firmar convênio com o Ministério da Saúde e receber doações para a implantação das unidades.

"O grave problema dos dependentes químicos tratado por ONGs que estão ocupando, meritótiamente, o papel do estado. É primordial que o poder público se empenhe diretamente e com o profissionalismo que o caso exige, sem conotação de crenças filosóficas, para que o atendimento seja amplo e não seletivo", justifica Arroyo.


Deixe seu Comentário

Leia Também

PANDEMIA AINDA NÃO ACABOU
Pandemia avança e MS registra 555 novos casos de Coronavírus em apenas 24h
INCÓGNITA
Governo ainda não definiu como será o 13º de quem teve corte salarial
ANTICORPOS
Bebê nasce com anticorpos contra covid-19
Vítima contou violência sexual para a tia ESTUPRO DE VULNERÁVEL
Idoso é denunciado por estuprar filha de amigos e a enteada
FENÔMENO DA NATUREZA
Evento raro: Lua Azul poderá ser vista no Dia das Bruxas
AUXILIO POPULAÇÃO
Caixa deposita auxílio emergencial nesta 5ª feira para nascidos em novembro
FOI MAL
Bolsonaro recua e revoga decreto que facilita privatização dos postos do SUS
90% RECUPERADOS
Brasil tem 158,4 mil mortes por covid-19 desde início da pandemia
ASSEDIO SEXUAL
Dono de loja é preso por estuprar jovem na entrevista de emprego
100 PAGAMENTOS
Mais de 17 milhões devem ficar sem todas as parcelas do auxílio