Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quinta, 21 de outubro de 2021
Busca
Brasil

MS não tem onde guardar safra de milho

22 Jul 2006 - 10h09
Depois de três safras frustradas, Mato Grosso do Sul pode voltar a ter um problema que se tornou crônico na última década: a falta de espaço para armazenagem. Segundo o presidente da Associação do Agronegócio da Grande Dourados (AAGD), Maurício Peralta, o Estado tem apenas 30% da capacidade de armazenagem disponíveis, sendo que boa parte dos silos ainda guardam a soja da safra passada. As cooperativas estimam que Mato Grosso do Sul tem uma capacidade de armazenamento de 3,5 milhões de toneladas de grãos.
"Isso significa que o Estado tem capacidade para armazenar cerca de um milhão de toneladas de milho, no entanto, é esperado no mínimo um milhão e meio de toneladas do produto. Apesar de todos os problemas enfrentados pelos agricultores teremos uma produção considerável", disse.
O produtor, Darci Decian, plantou 900 hectares com milho safrinha e espera colher uma média de 70 sacas por hectares. "A falta de espaço para guardar o produto vai fazer com que a fila nos armazéns cresça muito. Isso significa demora e desgaste", avaliou.
Segundo estimativas da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a produção de milho safrinha deve aumentar em média 40% este ano, já que na safra passada houve prejuízos mais graves por causa da forte estiagem. A situação só não se agravou ainda nos armazéns porque estima-se que apenas 30% da safra deste ano foram colhidos. "Acreditamos que o pico da colheita deva ocorrer no final do mês, quando teremos colhido cerca de 50% da safrinha", disse o presidente da Associação dos Engenheiros Agrônomos da Grande Dourados (Aeagran), Ângelo Ximenes.
O presidente da AAGD acredita que o protesto de produtores rurais no mês de maio contribuiu para o atraso no escoamento da soja para os portos, já que a maioria dos armazéns ficou bloqueado. "No momento, a logística de transporte está meio confusa aqui no Estado por causa dos manifestos. Os portos estão priorizando a saída da soja, mas o produto não chega aos navios da forma que deveria", disse.
Uma das alternativas apontadas pelos especialistas é retardar a colheita. Entretanto, a medida é considerada inviável porque o produtor rural não está em condições financeiras de esperar, sem contar que atraso para tirar o milho do campo poderia provocar uma quebra na produtividade final.
 
 
Dourados Agora

Leia Também

VOLTOU A SUBIR
Covid-19: Brasil registra 15.609 casos e 373 mortes em 24 horas
ESTAVA DESAPARECIDO
Corpo de pescador é encontrado dentro de jacaré
LIÇÕES DA BÍBLIA
O principal mandamento
BAIXARAM A GUARDA
Covid-19: Brasil registra 390 mortes e 12,9 mil casos em 24 horas
LIÇÕES DA BÍBLIA
Se me amam, guardarão os Meus mandamentos
OPORTUNIDADE DE EMPREGO
Funtrab está com 655 vagas para indígenas interessados em trabalhar em lavouras de maçã em SC e RS
ALERTA TEMPORAIS
Chance de Tempestades (La Ninã) no final do ano é de 87%, aponta atualização do NOAA
LIÇÕES DA BÍBLIA
Ele nos amou primeiro
AUXILIO EMERGENCIAL
Presidente está de acordo a prorrogação do auxílio emergencial
TRAGICO ACIDENTE
Menino de 9 anos morre enforcado com corda de balanço