Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 22 de junho de 2021
Busca
Brasil

MS conquista status de área livre de Peste Suína Clássica

24 Fev 2010 - 07h00Por Governo do Estado de Mato Grosso do Sul

Mato Grosso do Sul foi declarado ontem (23) pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) como zona livre de Peste Suína Clássica (PSC), junto com mais 14 Estados.

A instrução normativa número 6 do Mapa foi publicada ontem no Diário Oficial da União e também traz a aprovação das normas para ingresso de suídeos, de seus produtos e subprodutos e de material de risco biológico na zona livre de PSC, assim como os modelos oficiais de formulários para o transporte.

De acordo com a publicação, o ingresso de suídeos na livre de PSC, procedentes de zona considerada não-livre da doença, está condicionado à autorização prévia expedida pelo Serviço de Sanidade Agropecuária da Superintendência Federal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento no Estado de destino, após o cumprimento das exigências previstas na instrução normativa.

O ingresso de suídeos na zona livre de PSC só será permitido quando obedecer a vários requisitos, enumerados na publicação: os animais forem procedentes de estabelecimentos cadastrados e supervisionados pelo serviço veterinário oficial do Estado; estiverem acompanhados da autorização para ingresso regularmente expedida conforme a instrução normativa; estiverem acompanhados de Guia de Trânsito Animal (GTA), regularmente expedida por médico veterinário oficial do local de procedência e do atestado zoossanitário de origem correspondente; e ingressarem pelo local indicado na respectiva autorização, onde os suídeos serão reinspecionados.

Ainda segundo a instrução normativa, os veículos para transporte deverão ser apropriados, limpos e desinfetados antes do embarque.

O serviço veterinário oficial deverá lacrar a carga na propriedade de origem e discriminar o número do lacre na GTA, que só poderá ser rompido na propriedade de destino pelo serviço veterinário correspondente.

O rompimento do lacre da carga sem autorização do serviço sanitário oficial implicará no envio dos animais para abate sanitário em estabelecimento sob inspeção veterinária oficial ou a sua destruição, a critério do serviço veterinário oficial. 

No caso de produtos e subprodutos de origem suídea, deverão ser acompanhados de certificação sanitária definida pelo serviço veterinário oficial. De acordo com a publicação, é proibido o ingresso na zona livre de PSC dos seguintes produtos e subprodutos procedentes de regiões não declaradas livres da doença: carnes frescas com ou sem osso; cárneos defumados ou não; miúdos comestíveis in natura; miúdos salgados; miúdos in natura para indústrias ou entrepostos frigoríficos exportadores destinados à elaboração alimentos animal (pet food); miúdos in natura para fins opoterápicos; gordurosos in natura; tripas salgadas e frescas; e cerdas, pêlos, cascos, peles e aparas de peles antes do processo de curtimento.

Deixe seu Comentário

Leia Também

JOGOS ONLINE
Expectativas para legalização de jogos de azar movimenta mercado internacional
Policial
Criança de 6 anos sofre trauma de crânio após cair de atração no Beto Carrero World
DOSE ÚNICA
Avião com 1,5 milhão de doses da Janssen chega amanhã, diz ministro
REAÇÃO CERTEIRA
Mulher flagra filha sofrendo estupro e esfaqueia pedófilo
VIOLENCIA DOMESTICA
Menina de 12 anos furta bisavô e leva 10 chibatadas da mãe por ordem do CV
MILIONÁRIO
Aposta única fatura prêmio de R$ 7 milhões da Mega-Sena
AUXILIO POPULAÇÃO
Caixa paga hoje 3ª parcela do auxílio emergencial para nascidos em março
LUTO NA MÚSICA
Cantora gospel que defendia tratamento precoce morre de Covid-19 após ter os pulmões comprometidos
VIDEO
Cliente carrega mangueira sem perceber e bomba pega fogo em posto de combustível de Foz do Iguaçu
AÇÕES DO GOVERNO MS
Reinaldo Azambuja propõe projeto com Itaipu para combater assoreamento nos rios Iguatemi e Amambai