Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quarta, 23 de junho de 2021
Busca
Brasil

Motos puxam queda na venda de veículos

4 Nov 2009 - 15h08Por G1

Apesar da queda, em relação a outubro de 2008, o setor mostra recuperação de 9,44%, com aumento de 398.506 para 436.139 unidades. Foi em outubro do ano passado que as vendas de veículos começaram a sentir a crise financeira que abalou todo o mundo, especialmente o mercado de caminhões. Mesmo assim, o acumulado do ano ainda mostra queda de 4,88%. Entre janeiro e outubro de 2008, foram vendidas 4.194.338 unidades de veículos em geral. No mesmo período deste ano foram 3.989.462 unidades.

Por segmento,quem puxa a queda no acumulado do ano são os mercados de motocicletas, com 1.318.654 emplacamentos (queda de 20,47%), ônibus com 18.126 unidades (redução de 18,6%), caminhões com 85.548 unidades (baixa de 18,82%) e, consequentemente, de implemento rodoviários com 32.082 unidades vendidas (queda de 27,82%).

O quadro reflete a redução da atividade econômica registrada principalmente no primeiro semestre deste ano, que afetou o setor de transportes. Já no início de outubro as montadoras de caminhões afirmaram que o mercado está em recuperação, o que significa que as empresas começaram a contratar e a investir. No caso do mercado de motocicletas, a dificuldade está na liberação de financiamento para máquinas de baixas cilindradas, cujo foco comercial é o consumidor de baixa renda. As entidades ligadas ao segmento, como a Fenabrave e Abraciclo – associação dos fabricantes de motocicletas - tentam com o governo arrumar saídas para aumentar a demanda no mercado de motocicletas. 

Automóveis e comerciais leves

Ainda influenciado pelo desconto do IPI, o mercado de automóveis e comerciais leves mantém o movimento de expansão. Apesar da queda de 7,36% nas vendas de automóveis em outubro, com 231.190 emplacamentos contabilizados, contra 249.544 unidades vendidas em setembro. A redução é resultado da antecipação de vendas percebidas em setembro, pois o desconto do IPI ainda vigorava integralmente.

"O que observamos foi um estresse após ameaça de volta do IPI. Aconteceu em junho, março e setembro. A diferença agora é que os números que vemos no acumulado estão bastante acima da venda de automóveis e comerciais leves”, explica Reze sobre o efeito da antecipação das venda. Segundo o presidente da Fenabrave, se for calculada a média mensal do 2º semestre, todos os meses ultrapassaram o patamar de 280 mil unidades de carros vendidos.

Na opinião de Sérgio Reze, o impacto do fim do IPI não surtirá efeito nos próximos dois meses, porque as empresas e concessionárias estão ignorando o aumento do imposto por meio de promoções praticadas. “Isso faz com que o mercado continue tendo bastante procura”, destaca o presidente da associação dos fabricantes.

No entanto, como as vendas de comercias leves, como picapes e utilitários esportivos, subiu 6,38% - de 47.112 unidades em setembro para 50.116 unidades em outubro - na soma de vendas de carros foi observada redução de 5,17%, de 296.656 unidades no mês anterior contra 281.306 em outubro. Embora a queda seja notada, em relação a outubro do ano passado, o segmento mostra forte recuperação, que chega a 25,17% - no mês haviam sido emplacadas 284.744 unidades, o que faz do mês passado, o melhor outubro da indústria automobilística.

Assim, no acumulado do ano, a comercialização de carros novos subiu 7,39% até agora: foram 2.492.776 unidades vendidas desde janeiro. O volume mostra que o setor conseguiu desviar a crise com a ajuda fiscal do governo.

Novas projeções

Com o fechamento do quadro até outubro, a Fenabrave reformulou as projeções para o fechamento de 2009. De acordo com a entidade, o mercado de automóveis e comerciais leves deverá crescer 8.26%, com 2.892. 120 unidades emplacadas. A expansão de automóveis será 11,97% (2.458.302 unidades) e o de comerciais leves deverá cair 8.83% (433.818 unidades). Na direção oposta, o mercado de caminhões deverá cair 17% neste ano, para 102.325 unidades vendidas.

Para 2010, o crescimento projetado pela Fenabrave é de 9%. “Se as projeções do governo é de que o Brasil crescerá 5%, o setor tem plenas condições de superar esse nível”, observa Sérgio Reze.

No mesmo ritmo, o segmento de motocicletas cairá 17,11% - de 1.925.514 unidades em 2008, para 1.595.978 unidades em 2009. Já o mercado de ônibus, deverá retrair 16,93%. No total, o mercado de veículos sofrerá leve redução, de 2.83%, o que é uma notícia positiva diante do contexto econômico vivido até agora. 

Ranking das montadoras

A Volkswagen mantém a liderança nas vendas de automóveis entre janeiro e outubro deste ano, com 25.54% de participação do mercado. Em segundo lugar está a Fiat com 24,97%, seguida da GM (20,26%), Ford (9,52%), Honda (4,72%), Renault (4,56%), Peugeot (3,22%), Citroën (2,76%), Toyota (2,12%) e Hyundai (0,7%).

Já nos emplacamentos de comerciais leves, a Fiat dispara na liderança com 22,25% de fatia no mercado nacional. A segunda colocada é a General Motors com 17,69% de market share, seguida da Ford (13,37%), Volkswagen (10,85%), Hyundai (9,30%), Toyota (7,03%), Mitsubishi (6,98%), Kia (2,71%), Honda (2,17%) e Nissan (1,42%). As vendas de veículos no mês de outubro apresentaram queda de 4,46% em relação a setembro. De acordo com o balanço da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores), divulgado nesta quarta-feira (4), ao todo foram emplacados no período 436.139 unidades - de automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus , motos e implementos rodoviários - contra 456.482 unidades no mês anterior. Considerando apenas automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus, a redução ante setembro é de 4,62%.

“Não tem como negarmos que o país vive um momento de euforia", avalia o presidente da Fenabrave, Sérgio Reze. "O setor automobilístico reflete o estado geral da economia”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

VEJA VÍDEO
Servidora não deixa lençol sujar com sangue de bandido e viraliza na internet
LUTO NA TV
Apresentador do Balanço Geral morre vítima da covid
COPA AMÉRICA
Com mudanças, Brasil encara Colômbia para garantir liderança do grupo
JOGOS ONLINE
Expectativas para legalização de jogos de azar movimenta mercado internacional
Policial
Criança de 6 anos sofre trauma de crânio após cair de atração no Beto Carrero World
DOSE ÚNICA
Avião com 1,5 milhão de doses da Janssen chega amanhã, diz ministro
REAÇÃO CERTEIRA
Mulher flagra filha sofrendo estupro e esfaqueia pedófilo
VIOLENCIA DOMESTICA
Menina de 12 anos furta bisavô e leva 10 chibatadas da mãe por ordem do CV
MILIONÁRIO
Aposta única fatura prêmio de R$ 7 milhões da Mega-Sena
AUXILIO POPULAÇÃO
Caixa paga hoje 3ª parcela do auxílio emergencial para nascidos em março