Menu
SADER_FULL
sexta, 23 de outubro de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Mortes no trânsito caem 6,2% após lei seca, diz ministro

19 Jun 2010 - 10h20Por Folha Online
O Ministério da Saúde divulgou nesta sexta-feira que o número de mortes em decorrência de acidentes de trânsito caiu 6,2% nos 12 meses seguintes à implementação da lei seca, que aumentou a restrição ao consumo de álcool para motoristas. A lei completa dois anos em vigor neste domingo (20), mas as informações sobre o segundo ano ainda não estão disponíveis --o ministério utiliza como base atestados de óbitos remetidos pelas secretarias estaduais de saúde.

Nos dozes meses anteriores à entrada em vigor da lei, de julho de 2007 a junho de 2008, o número de mortes chegou a 37.161 no país. Já nos doze meses seguintes, de julho de 2008 a junho de 2009, o total foi de 34.859. Isso significa que, em todo o país, foram registradas 2.302 mortes a menos após a implementação da lei.

Regionalmente, porém, os resultados obtidos foram bastante diversos. O Sudeste, com melhor desempenho, teve queda de 10,6% nas mortes, seguido pelo Sul (-7,5%), pelo Nordeste (-2,8%) e pelo Centro-Oeste (-0,3%). Já o Norte registrou aumento de 2,6% no número de vítimas fatais do trânsito.

O bom resultado no Sudeste é explicado principalmente pelo Rio de Janeiro. As mortes registradas nesse Estado caíram 32% no período. Espírito Santo (-18,6%), Alagoas (-15,8%), Distrito Federal (-15,1%) e Santa Catarina (-11,2%) completam a lista das cinco maiores reduções. Já São Paulo, que tem a maior frota do país, teve queda de 6,5%.

Como a população cresceu no período, a redução na taxa de mortalidade (número de mortes por 100 mil habitantes) foi ainda maior. No Brasil, a taxa passou de 18,7 para 17,3, uma redução de -7,4%. No Rio, mais uma vez o Estado com melhor resultado, passou de 12,7 para 8,5, o que representa uma queda de 32,5%. Já em São Paulo, a queda foi de 7%, próxima da média nacional. Nesse Estado, o risco de morrer em acidente de trânsito era de 17,2 por 100 mil antes da lei seca e passou para 16 nos 12 meses seguintes a lei.

O Ministério da Saúde também divulgou dados de uma pesquisa telefônica feita anualmente com 54 mil pessoas e que mostra que, com a implementação da lei seca, diminuiu a parcela que dirige após consumo abusivo de álcool. Em 2007, 2,1% dos entrevistados afirmaram dirigido após beber nos 30 dias anteriores à pesquisa. No ano em que a legislação tornou-se mais rigorosa, esse percentual caiu para 1,4%. Em 2009, porém, já foi registrada uma pequena alta, para 1,7%.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Invasão em residência acaba morador morto por tiro acidental TRAGÉDIA NA FAMILIA
Homem mata o próprio irmão ao atirar em invasor de residência
GUERRA DA VACINA
Bolsonaro diz que não comprará vacina chinesa, mesmo se aprovada pela Anvisa
Motorista da carreta diz que ainda tentou desviar, mas não conseguiu DOENÇA DO SÉCULO
Menor pega carro escondido, joga contra carreta e morre na hora
BRASIL - 155.403 MORTES
Covid-19: Brasil tem 24.818 novos casos em 24 horas
AJUDA
Caixa Econômica paga auxílio emergencial para 5,2 milhões de beneficiários
CORONAVIRUS
Morre voluntário brasileiro que participava de testes da vacina de Oxford
MORTE SUBITA
Idoso morre em voo de Cuiabá para SP; avião faz pouso de emergência
BRASIL - 154.176 MORTES
Covid-19: Brasil tem mais 271 óbitos e 15.383 novos casos em 24h
TRAGÉDIA NA CIDADE
Acidente entre trem e e micro-ônibus deixa uma mulher morta e feridos
VEJA VIDEO
Índio precisa buscar socorro a cavalo após ataque de onça