Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 29 de setembro de 2020
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Mortes causadas pela gravidez caem pela metade em 18 anos no Brasil

21 Set 2010 - 07h12Por www.ccr.org.br

O índice de mulheres que morrem em razão de problemas na gravidez ou no parto caiu 52% em 18 anos, entre 1990 e 2008, de acordo com dados divulgados pela ONU (Organização das Nações Unidas) e pelo Banco Mundial.

Apesar disso, o país está longe de cumprir a meta de reduzir essa taxa em 75% até 2015, prevista nos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), que foram adotados pelos membros da organização em 2000.

De acordo com o relatório, em 2008 o Brasil teve 58 mortes maternas para cada 100 mil bebês nascidos vivos, enquanto em 1990 esse índice era de 120. A taxa de queda anual foi de 4%, diz a ONU.

Para atingir o objetivo, a taxa precisa cair para 30 até 2015, uma redução de 48% em seis anos.

Apesar disso, o Brasil apresenta números melhores que a média mundial – o país está entre as 90 nações em que o índice caiu mais de 40% nesse período.

No mundo, o número de mulheres que morreram por complicações na gravidez caiu 34% nesse período, de 546 mil em 1990 para 358 mil em 2008.

A ONU diz que o avanço é “notável”, mas representa metade da redução necessária para atingir o objetivo em 2015 (seria necessário que esse índice caísse 5,5% por ano, enquanto a queda anual desde 1990 tem sido de 2,3% em média).

No levantamento, a organização levou em consideração as mortes de mulheres grávidas ou no período de até 42 dias após o fim da gravidez, por qualquer causa relacionada ou agravada pela gestação. Não são considerados os óbitos por motivos acidentais.

As principais causas de mortes maternas são os sangramentos após o parto, infecções, problemas de hipertensão (pressão alta) e abortos não seguros.

Em 2008, cerca de mil mulheres morreram todos os dias devido a essas causas. Dessas, 570 viviam na África subsaariana, 300 no sul da Ásia e cinco em outros países em desenvolvimento, diz a ONU.

O risco de uma mulher em um país em desenvolvimento morrer por causas relacionadas à gravidez é 36 vezes maior do que o registrado em uma nação desenvolvida.

Anthony Lake, diretor-executivo da Unicef, diz que, “para atingir o objetivo de melhorar a saúde das mães e salvar a vida de mulheres, é preciso se concentrar nas que estão em situação de risco”.

Isso significa alcançar mulheres em áreas rurais e famílias pobres, de minorias étnicas, grupos indígenas, as que vivem em zonas de conflito e as que têm o vírus HIV.

Para a ONU, os números mostram que é possível prevenir as mortes maternas, mas os países precisam investir mais no sistema de saúde e na qualidade do atendimento.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Motorista registrou a travessia de uma jiboia na avenida Ayrton Senna, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. FORA DO HABITAT
VÍDEO: motorista flagra jiboia cruzando pista de avenida no RJ: 'olha isso'
Só queria que me entendessem sem preconceito! PRECONCEITO
Jovem é expulso de casa ao assumir namoro com mulher trans
Yan e um comparsa renderam mãe e filha na rua CRIMINOSO
Bandido morto pela PM arrancou família de carro e agrediu mulher uma semana antes
O diesel não sofreu reajuste. + ALTA
Gasolina sobe 4% nas refinarias, anuncia Petrobras
O total de mortes causadas por covid-19 chega a 138.108, um acréscimo de 0,6% sobre a soma de segunda Saúde
Covid-19: Brasil tem 33,5 mil novos casos e 836 mortes em 24 horas
HERANÇA PORTUGUESA
A herança portuguesa na vida cotidiana do Brasil
Os beneficiários nascidos em janeiro  3,9 milhões de pessoas  poderão sacar AJUDA FINANCEIRA
Caixa paga nova parcela do auxílio emergencial para 5,6 milhões de pessoas
o maior programa de assistência aos mais pobres no Brasil e talvez um dos maiores do mundo PRESIDENTE NA ONU
Bolsonaro diz que brasileiros receberam mil dólares de auxílio
Imagem: Reprodução/Balanço Geral Londrina FUGA EM MASSA
Presos fogem de cadeia após surto de Covid-19
Material estava dentro de uma bexiga e enrolado com fita isolante PROFUNDEZAS DO CRIME
8 celulares e outros materiais são retirados do ânus de preso