Menu
SADER_FULL
quarta, 3 de março de 2021
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
Brasil

Morte de Policial Militar: Qual foi o erro da operação?

10 Mai 2011 - 06h49Por Dourados News

A morte do policial militar Sandro Alvares Morel, 36 anos, integrante do Serviço Reservado(P-2) , que supostamente seria para prender um traficante, foi uma das ações policiais mais mal sucedidas, dos últimos tempos no Estado de Mato Grosso do Sul, terminando da forma mais trágica possível.

 

Além da morte do policial, ficaram feridos o Policial Federal Leonardo de Lima Pacheco, de 35 anos, que também não era ‘Marinheiro de Primeira Viagem’ e o PM José Pereira de Souza, 35 anos, outro policial experiente.

O PM foi para a casa do Federal, convicto que ali residia um traficante. Pois fora essa a informação recebida pela Guarda Municipal, que supostamente se passara por uma garota de programa na conversa via internet com o PF, que por sua vez segunda ela, se dizia ser um traficante de drogas.
Diante das informações, não caberia aos experientes policiais militares uma análise mais apurada da situação, trabalhando inclusive com a hipótese, de se a pessoa fosse um traficante, pudesse ser alguém de alta periculosidade, e tomarem algumas medidas necessárias e, indispensáveis, em uma possível reação do presumível traficante?

Existem algumas regras básicas que qualquer policial tem conhecimento, quando se faz uma abordagem, principalmente em se tratando de um elemento que possa oferecer perigo. Em outras palavras: Policial em uma operação dessa magnitude tem que haver planejamento estratégico e uma análise da situação, buscando o maior numero de informações, que pudessem juntar as peças para o êxito da ação.

Por outro lado, o Policial Federal, ao ser abordado por alguém que se dizia ser um policial, não caberia ele também se identificar, buscando esclarecer o mal entendido?

Os responsáveis pelas investigações são policiais experientes, preparados, dispõem de importantes ferramentas e, sobretudo estão imbuídos dos melhores propósitos da elucidação do caso.
Lamentavelmente a vida do policial Sandro Morel não volta mais, o clima é de revolta entre os companheiros de farda, entre os familiares o ambiente é de dor, lágrimas e desolação.

Na Policia Federal a situação causou perplexidade. A PF é uma instituição de inestimáveis serviços prestados à sociedade, sua credibilidade é altíssima, seus integrantes são homens sérios e cujo trabalho, se pauta fundamentalmente em estratégias bem elaboradas e executadas com precisão.

Que o lamentável episódio, sirva pelo menos como exemplo, para as próximas operações policiais.
Homens comprometidos com o combate ao crime, que basicamente tem propósitos comuns, e, principalmente são treinados para as mais diferentes situações, de enfrentamento aos bandidos não podem de forma e maneira nenhuma, protagonizarem uma situação onde faltou, o que em tese todo policial precisa ter: Preparo.  

Deixe seu Comentário

Leia Também

ESTUPRO DE VULNERÁVEL
Filho de fazendeiro reclama de dor anal e mãe descobre estupro cometido por funcionário
BOA NOTICIA
Governo zera PIS e Cofins do diesel e do gás de cozinha
RIGOR DA LEI
Cidade vai multar em até R$ 60 mil quem descumprir decreto de combate ao Covid-19
PANDEMIA 100 FIM
Brasil tem 30.484 mortes por Covid-19 em fevereiro, 2º maior número em toda a pandemia
charge_gasolina 100 TRÉGUA
Facada: Petrobras anuncia novo aumento nos preços da gasolina e diesel
CARCERE PRIVADO
Homem é preso por cárcere privado e violência doméstica após mulher pedir socorro com foto nas redes
NOVO AUXILIO
Presidente afirma Auxílio emergencial deve voltar em março, com parcelas de R$ 250
ALERTA EPIDEMIOLÓGICO
Covid-19: Brasil registra 1.541 mortes em 24 horas
MUNDO DO CRIME
Após morrer de Covid-19 no mesmo dia, casal tem oficina invadida e furtada
TRISTEZA NA FAMILIA
Pai e filho morrem de Covid-19 com poucas horas de diferença