Menu
SADER_FULL
quarta, 12 de maio de 2021
Busca
Brasil

Moradores de rua podem ter sido mortos por policiais em SP

18 Set 2004 - 08h38
O assassinato de sete moradores de rua na cidade de São Paulo pode ser esclarecido nos próximos dias. A informação é do deputado Orlando Fantazzini (PT-SP), coordenador da comissão externa da Câmara criada para acompanhar as investigações.
O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa da capital paulista informou ao deputado que dois soldados da Polícia Militar e um vigia clandestino estariam diretamente envolvidos nos crimes. Segundo Fantazzini, os acusados prestavam serviço de proteção a traficantes de drogas, faziam segurança clandestina e extorquiam comerciantes.
O deputado não descarta o envolvimento de outras pessoas no assassinato dos moradores de rua. "O caso está centrado nessas três pessoas, mas pode ter a eventual participação de outros”, afirmou. “Os indícios e provas colhidas até agora sinalizam para grupos de segurança clandestina envolvidos com o tráfico de drogas".

As sete mortes ocorreram entre os dias 19 e 22 de agosto. Os ataques deixaram ainda oito feridos.
 
Agência Câmara

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRISTEZA NA FAMILIA
Seis pessoas da mesma familia morrem vítimas da Covid-19
NOVAS REGRAS
WhatsApp: o que acontece se você não aceitar novas regras do aplicativo até 15 de maio
FAMOSIDADES
Pai da campeã do 'BBB 21' Juliette vive em casinha de barro na Paraíba
CACHAÇA
Jovem enfia garrafa no ânus durante bebedeira e vai parar no hospital
ESCALADA DA VIOLÊNCIA
Operação mais letal da história deixa 25 mortos no Jacarezinho
VITIMA DO MASSACRE
'Fiquei vendo costurarem os ferimentos. Chorava, orava e agradecia por ele estar vivo, diz mãe
FRIO - FÁTIMA DO SUL NOVA ONDA DE FRIO
Frio de origem polar começa a ser sentido novamente e terá geada
TERROR NA CRECHE
Sob forte emoção moradores de Saudades realizam velório coletivo das vítimas do ataque à creche
CHEGANDO FORTE
Frio chega com força e provoca geada no Sul
TERROR EM CRECHE
Jovem invade escola e mata três crianças e duas funcionárias