Menu
SADER_FULL
domingo, 7 de março de 2021
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
Brasil

Moka é relator do programa Minha Casa, Minha Vida no Senado

5 Mai 2011 - 15h08Por Assessoria

 

O senador Waldemir Moka (PMDB) foi indicado relator da Medida Provisória 514/2010 que muda as regras da segunda etapa do programa habitacional Minha Casa, Minha Vida. A matéria foi aprovada semana passada na Câmara dos Deputados e agora está sendo analisada pelo Senado.

O novo texto traz alterações no critério de renda exigido para que o candidato tenha acesso ao benefício. O limite passa a ser calculado com base no real e não mais em cima do salário mínimo. A exigência de renda familiar mensal, que era de até dez salários mínimos, passa a ser de até R$ 4.650,00.

A faixa que ia até seis salários mínimos passa a ser considerado o valor de R$ 2.790,00. A exigência de três salários mínimos agora tem valor definido de R$ 1.395,00.

De acordo com Moka, a tendência é que o Senado faça poucas alterações em relação ao texto aprovado pela Câmara. “O texto elaborado pelos deputados está bem enxuto. As alterações, se houver, serão poucas”, analisa o senador.

A segunda etapa do programa Minha Casa, Minha Vida prevê a construção e reforma de 2 milhões de imóveis. Segundo Moka, o Governo pretende investir R$ 16,5 bilhões, com prioridade para famílias chefiadas por mulheres, desabrigadas ou que morem em área de risco.

O senador diz que a seleção dos beneficiários será feita com a participação dos Estados e dos municípios. “A ideia é tornar esse programa mais ágil, razão pela qual se faz necessário de reduzir a burocracia. O déficit habitacional só vai ser reduzido se essas ações caminharem rapidamente”, afirma.

Mato Grosso do Sul

De acordo com o presidente da Associação Brasileira dos Mutuários da Habitação (ABMH) em Campo Grande, José Carlos Teixeira, ainda não é possível avaliar se o programa habitacional Minha Casa, Minha Vida tem contribuído para reduzir o déficit de moradias em Mato Grosso do Sul.

Teixeira acredita que as ações do programa vão ter reflexos no longo prazo porque a situação no Brasil é muito grave no que se refere às condições para comprar a casa própria. “Temos de entender que, além do déficit atual, a população cresce a cada ano, aumentando a falta de moradias”, argumenta.

O dirigente considera positivas as mudanças feitas para a segunda etapa do programa Minha Casa, Minha Vida. “Essas alterações são importantes porque destravam um pouco a concessão do crédito a famílias das classes menos favorecidas”, afirma.

Deixe seu Comentário

Leia Também

100 UTI = OBITO
Ministério da Saúde prevê 3 mil mortes por dia por covid-19 nas próximas duas semanas
TRISTEZA NA FAMILIA
'Não tem UTI,amo vcs':a história por trás do tuíte viral que revela mensagens de mãe morta por covid
DISPARO ACIDENTAL
Assessor em fazenda do cantor Leonardo morre vitima de tiro acidental
VIOLENCIA DOMESTICA
Vítima de violência doméstica escreve bilhete com pedido SOS em agência bancária: 'Ele tá ai fora'
ALERTA AO CPF
Confira se o seu CPF foi usado de maneira IRREGULAR por desconhecidos
VAMOS PREVENIR
Igreja Adventista vota documento com orientações sobre cultos e reuniões
ALERTA AOS JOVENS
O que está por trás da alta das internações de jovens com covid
BRASIL EM PÂNICO
Brasil tem novo recorde de mortes por covid em 24 horas: 1.910
100 TRÉGUA
Brasil registra 1.726 mortes em 24 horas e bate novo recorde na pandemia; total chega a 257,5 mil
EXECUÇÃO NA MADRUGADA
Dona de bar é degolada e corpo encontrado nos fundos do estabelecimento