Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 26 de maio de 2020
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Missão vai à Rússia para tentar retomar as vendas de carnes

20 Set 2004 - 09h49
Uma missão técnica do Ministério da Agricultura seguiu para Moscou para levar dados sobre o controle de febre aftosa no Brasil para o governo russo, que decidiu na sexta-feira vetar todas compras de carnes brasileiras (bovina, suína e de frango) depois da descoberta de novo foco de febre aftosa no Amazonas, região de alto risco.

Segundo José Amauri Dimarzio, ministro interino da Agricultura, a decisão dos russos foi uma surpresa. Na própria sexta-feira Dimarzio - no lugar de Roberto Rodrigues, que estava em reunião em Montevidéu - decidiu encaminhar missão técnica dada a gravidade da situação. "Os prejuízos diários são estimados em US$ 4 milhões", disse Dimarzio.

As estimativas iniciais do Ministério da Agricultura eram de que as exportações de carnes neste ano para a Rússia totalizassem algo em torno de US$ 800 milhões, o que representaria aumento de 38% em relação aos US$ 580 milhões obtidos em 2003, segundo informa Dimarzio. Em volume, as exportações de carnes eram estimadas inicialmente em 640 mil toneladas, um aumento de 7% na comparação com o desempenho obtido pelas empresas exportadoras brasileiras, que haviam embarcado 600 mil toneladas no ano passado.

Levando-se em conta o pior cenário, ou seja, caso até o final do ano a Rússia mantenha o veto às exportações brasileiras, os prejuízos totais poderiam atingir cerca de US$ 250 milhões, de acordo com Dimarzio. De janeiro a agosto, as exportações de carnes de frango, de suíno e de bovino para o mercado russo totalizaram US$ 550 milhões, ou 5% inferior ao ano de 2003, e 440 mil toneladas, uma queda de 27% na comparação com o desempenho obtido no ano passado. "De qualquer maneira será difícil os russos encontrarem outros fornecedores para suprir um eventual volume de carne brasileira que deixaria de ser enviada."

Venda de trigo

O ministro interino também informou que o Brasil já preparou a documentação relativa a análise de riscos de pragas de trigo russo, que é objeto de discussão entre os dois governos. Em agosto, quando foi detectado um foco de febre aftosa no Pará, os russos também proibiram momentaneamente as importações de carnes. Em seguida, Moscou passou a tentar negociar a venda de trigo russo para o Brasil.

Questionado sobre se o veto não seria uma manobra dos russos para negociar a venda de trigo, Dimarzio informou que as negociações para tal já estão adiantadas e no momento os russos sequer teriam estoques excedentes do grão.

Sanidade animal

Na opinião de Antenor Nogueira, presidente da comissão de pecuária da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), os russos estariam utilizando a situação para negociar a venda de trigo. "Os russos são os principais importadores das carnes brasileiras", afirmou ele.

Para Alfredo Felipe da Luz Sobrinho, diretor de relações institucionais e jurídico da Sadia, o embargo da Rússia é resultado da inconstância sanitária do Brasil, na avaliação daquele país. Ele acredita que, assim como no surgimento do foco do Pará, em junho, novamente a Rússia esteja reagindo para que os acordos sanitários visando a venda do trigo daquele país para o Brasil sejam concluídos.

O Ministério da Agricultura está aumentando o volume de recursos para a defesa agropecuária, segundo informou Dimarzio. A perspectiva para 2005 é de que o volume de recursos para o setor totalizem R$ 140 milhões, o que representaria aumento de 25% em comparação ao volume desembolsado neste ano, que deve totalizar R$ 112 milhões. "Inicialmente estavam previstos R$ 68 milhões, mas conseguimos um aporte de R$ 44 milhões", afirmou Dimarzio.

Os recursos superam em muito o volume destinado pelo governo em 2003, que haviam atingido apenas R$ 60 milhões para os serviços de defesa agropecuária. "Haverá reforma em vários laboratórios de referência animal", disse.
 
 
Agrolink

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL - 22.666 MORTES
Brasil tem mais 653 mortes, e vítimas da covid-19 no país chegam a 22.6
EMOCIONANTE - VIDEO
Esposo toca sanfona para esposa no hospital após ela receber alta de covid-19
ELEIÇÕES 2020?
Talvez seja inevitável adiar eleições municipais, diz Barroso
BRASIL 22.165 MORTES
Covid 19: Brasil tem mais de 22 mortes e 341 mil casos
FEMINICÍDIO
Homem mata a própria companheira por causa do auxílio emergencial
ESTRAGOS DO MORO
Veja os principais pontos da reunião ministerial que teve gravação divulgada pelo STF
ENEM
Enem 2020 é adiado por causa da Covid
SOB INVESTIGAÇÃO
Delegado diz que namorada viu mensagens no celular atirou nele e se matou
VITIMA DA COVID 19
Edivaldo perdeu o filho de 26 anos: 'Falaram que em 15 dias ele já estaria recuperado'
3º EM NUMERO DE CASOS
Brasil passa de 19 mil mortes e 296 mil casos de coronavirus; veja por Estado