Menu
SADER_FULL
sexta, 7 de maio de 2021
Busca
Brasil

Ministra destaca pioneirismo de MS nos 20 anos dos Juizados

10 Set 2010 - 15h42Por Portal do MS

Foi realizada no final da tarde de quinta-feira (09), no Plenário do TJMS, a solenidade de comemoração dos 20 anos de criação dos juizados especiais no Estado, um verdadeiro modelo de justiça participativa e resolutiva para o poder judiciário nacional.

A Ministra do Superior Tribunal de Justiça, Fátima Nancy Andrighi, proclamou sua homenagem ao Des. Rêmolo Letteriello, “cuja vocação e galhardia têm conferido inegável impulso ao êxito alcançado pelo Poder Judiciário do Estado de Mato Grosso do Sul na prestação da tutela jurisdicional em sua plenitude”. Para a ministra, “são atos de pioneirismo como os desta terra de gigantes notáveis que permitem a tangibilidade do ideal de acesso à Justiça”.

Com a plateia repleta de juízes, representantes do Ministério Público e da Defensoria, de conciliadores, juízes leigos, operadores dos juizados e admiradores desta justiça célere e participativa, o idealizador dos juizados especiais no Estado, Des. Rêmolo Letteriello, foi homenageado.

Seu pronunciamento foi uma mistura de comemoração pela vitória ao longo de 20 anos de trabalho e um misto de preocupação pelo tratamento dispensados aos juizados especiais em todo o país nos dias atuais.

Rêmolo Letteriello apontou que há quem, “por indesculpável descaso e malquerença, a enxergam como uma subjustiça, criada para servir a subjurisdicionados, ou a uma parcela de cidadãos de pouca importância; desdenham dos resultados das pesquisas de opinião pública que apontam os juizados como a instituição judicial de maior prestaza e confiabilidade”.

Para marcar a data o Tribunal de Justiça lançou um selo comemorativo e uma revista especial, relatando os principais momentos da história desse trabalho desde sua criação. Na revista, além de uma entrevista especial com o Des. Rêmolo Letteriello, há informações essenciais como a competência; a história dos juizados que, por ser uma ação pioneira, elevou o Estado à vanguarda no país.

A Desa. Tânia Garcia de Freitas Borges saudou, em nome do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, a Ministra do STJ, Fátima Nancy Andrighi, que além de proferir palestra, foi homenageada pelo TJMS durante a solenidade com a Comenda “Colar do Mérito Judiciário”.

No discurso de saudação à ministra, a desembargadora enalteceu os trabalhos realizados pela ministra do STJ e também pelo Des. Rêmolo Letteriello que, em suas palavras “se confundem e se mesclam com a criação dos Juizados de Pequenas Causas, hoje denominados Juizados Especiais, que funcionam como instrumento do Poder Judiciário para garantia de um ordenamento jurídico efetivo e justo”, destacou.

O Procurador-Geral de Justiça de Mato Grosso do Sul, Paulo Alberto Pereira de Oliveira, em seu discurso na solenidade de Comemoração destacou que o evento deste dia 9 de setembro marca na memória da sociedade a implantação de uma distinguida justiça que se tornou um modelo de prestação jurisdicional participativa e resolutiva, se configurando como um divisor de águas na história do Poder Judiciário Brasileiro.

Paulo Alberto de Oliveira destacou o trabalho desenvolvido pelo Des. Rêmolo, “idealizador da referida Lei nº 1.071/90, notabilizando nacionalmente nosso Estado como pioneiro na implantação dessa Justiça Especializada. Graças à visão e ao costumeiro descortino do Des. Rêmolo, aquilo que era promessa constitucional, passou à realidade em nosso Estado”, enfatizou.

Representando a OAB/MS, na solenidade o advogado Elton Luis Nasser de Mello apontou o momento como uma oportunidade de reflexão. Ele lembrou que viver a vocação é colocar em prática o mandamento ditado pelo próprio Cristo, que é amar ao próximo. “E amar ao próximo é pensar, criar, edificar, transformar o sonho em realidade. É ouvir e permitir que uma pessoa, que se sinta lesada, violada no seu direito, possa receber a atenção devida e buscar o exercício da função jurisdicional com as garantias constitucionais que a todos são asseguradas.”, salientou.

Durante a cerimônia, os primeiros juízes a atuar nos juizados especiais receberam uma placa como forma de reconhecimento pela coragem de participar de projeto tão ambicioso e desbravador. Outro a receber o reconhecimento público foi o desembargador aposentado Nildo de Carvalho – ele era membro da administração no biênio em que a Lei nº 1.071, que criou os Juizados Especiais em MS, foi sancionada.

Entre os homenageados, os primeiros juízes a atuar nos juizados em Campo Grande: Darion Leão Lino, no 1º Juizado Cível, e Sideni Soncini Pimentel, no 3º Juizado Cível. Na área criminal atuaram João Maria Lós, no 1º Juizado Criminal, e Divoncir Schreiner Maran, no 2º Juizado Criminal.

Os primeiros a judicar nos juizados da comarca de Dourados, que receberam as homenagens, foram Edson Ernesto Ricardo Portes, no 4º Juizado Cível; Ademar Pereira, no 5º Juizado Cível; Tenir Miranda, no 4º Juizado Criminal, e Paulo Alfeu Puccinelli, no 5º Juizado Criminal.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ESCALADA DA VIOLÊNCIA
Operação mais letal da história deixa 25 mortos no Jacarezinho
VITIMA DO MASSACRE
'Fiquei vendo costurarem os ferimentos. Chorava, orava e agradecia por ele estar vivo, diz mãe
FRIO - FÁTIMA DO SUL NOVA ONDA DE FRIO
Frio de origem polar começa a ser sentido novamente e terá geada
TERROR NA CRECHE
Sob forte emoção moradores de Saudades realizam velório coletivo das vítimas do ataque à creche
CHEGANDO FORTE
Frio chega com força e provoca geada no Sul
TERROR EM CRECHE
Jovem invade escola e mata três crianças e duas funcionárias
PÉSSIMA PROJEÇÃO
Covid-19: Brasil deve alcançar 575 mil mortes em 1º de agosto, diz instituto
SONHO INTERROMPIDO
Jovem perde noivo para a Covid-19 no dia do casamento: 'Nossos sonhos ficaram para trás'
PANDEMIA CORONAVIRUS
Triste número: Brasil ultrapassa 400 mil mortes por Covid-19
REVOLTA
Pastor zomba da fé dos indígenas Trukás que revoltados quebram templo em construção; veja o vídeo