Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 18 de maio de 2021
Busca
Brasil

Ministra descarta nova alta dos combustíveis até 2005

25 Nov 2004 - 15h11
A ministra das Minas e Energia, Dilma Roussef, garante que não haverá aumento no preço do combustível até os primeiros meses de 2005. "Não faremos um novo aumento nos próximos meses - fim deste ano e início de 2005. O Brasil não é uma ilha. Se o preço do petróleo explodir, temos que ver que providência tomar, mas até agora acreditamos que ele tende a se estabilizar", diz.

A gasolina fica 4,2% mais cara e o óleo diesel sobe 8% nas refinarias da Petrobras em todo o país, a partir do primeiro minuto desta sexta-feira. O segundo reajuste promovido pela empresa em pouco mais de um mês foi anunciado hoje, sendo que em 14 de outubro a Petrobras já tinha aumentado a gasolina em 2,4% e o diesel em 4,8%.

Segundo a ministra, o aumento do petróleo é maior ao aumento dado ao combustível. "A Petrobrás não aumenta o combustível sem ter uma situação internacional sinalizando que o preço mudou de patamar. Nosso patamar estava bem baixo, então fizemos um pequeno ajuste e ficamos esperando porque ninguém como o mercado de petróleo", explica.

 


Agência Brasil

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRAGÉDIA NO HARAS
Vaqueiro morre ao ser arrastado por boi durante vaquejada, em Paranatama; veja vídeo
Foto: Divulgação/Instagram LUTO NA MÚSICA
MC Kevin morre aos 23 anos no Rio de Janeiro
SONHO INTERROMPIDO
Agente educacional morta em ataque a creche em Saudades queria fazer intercâmbio no Canadá
PESQUISA PRESIDENCIAL
Datafolha mostra Lula disparado na corrida eleitoral
NOVA INFECÇÃO
Covid-19: após 3 semanas de queda, casos de coronavírus avançam no Brasil puxados por 9 Estados
TRISTEZA NA FAMILIA
Seis pessoas da mesma familia morrem vítimas da Covid-19
NOVAS REGRAS
WhatsApp: o que acontece se você não aceitar novas regras do aplicativo até 15 de maio
FAMOSIDADES
Pai da campeã do 'BBB 21' Juliette vive em casinha de barro na Paraíba
CACHAÇA
Jovem enfia garrafa no ânus durante bebedeira e vai parar no hospital
ESCALADA DA VIOLÊNCIA
Operação mais letal da história deixa 25 mortos no Jacarezinho