Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quinta, 13 de maio de 2021
Busca
Brasil

Ministério da Saúde recomenda parto humanizado

14 Out 2010 - 15h14Por

Diversos estudos já comprovaram que o parto humanizado é capaz de reduzir índices de mortalidade neonatal.

Por esta razão, o Ministério da Saúde recomenda que esse tipo de parto seja priorizado em maternidades e hospitais de todo o País.

O parto humanizado é aquele em que a criança nasce em um ambiente calmo e é rapidamente colocada junto a mãe.

Essa medida, além de fortalecer o laço entre a mãe e o bebê, estimula a amamentação e vai garantir mais saúde para o recém-nascido.

A coordenadora de Saúde da Criança e Aleitamento Materno do ministério, Elza Giugliani, explica que esse é um direito de toda mãe, que deve ser respeitado nos hospitais.

"Uma criança que já nasceu bem tem três procedimentos já na sala de parto que melhoram muito a saúde da criança que é: contato pele a pele logo após o parto imediatamente, hoje em dia, está se vendo grandes vantagens para a saúde da criança; aleitamento materno na primeira hora de vida, hoje em dia já tem estudos relacionados que mostram que reduz a mortalidade neonatal; e o clampeamento do cordão não imediato."

A coordenadora de Saúde da criança explica que clampeamento é o nome técnico dado ao corte no cordão umbilical e, segundo ela, é importante que o médico espere o cordão parar de pulsar para cortá-lo para que o recém nascido receba os nutrientes que ali estão.

O médico Eduardo Fonseca, da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia, ressalta que o parto humanizado é a forma mais segura e tranqüila tanto para a mãe quanto para o bebê.

"O parto humanizado é aquele parto que visa oferecer a mãe a melhor assistência do ponto de vista humano.

Outra característica do parto humanizado é evitar a medicalização e a instrumentação do parto desnecessário.

Hoje, existem evidências científicas de que o parto humanizado é ideal tanto para mãe quanto para o recém-nascido que está chegando ao mundo."

O obstetra Eduardo Fonseca ressalta que o parto normal é indicado para quase todos os casos, com exceção das mulheres que têm algum tipo de complicação na gravidez. O parto normal é mais seguro, e permite uma recuperação mais rápida para mãe e filho.

Além disso, para garantir a saúde da criança, é fundamental a amamentação exclusiva até pelo menos os seis meses de vida

Deixe seu Comentário

Leia Também

SONHO INTERROMPIDO
Agente educacional morta em ataque a creche em Saudades queria fazer intercâmbio no Canadá
PESQUISA PRESIDENCIAL
Datafolha mostra Lula disparado na corrida eleitoral
NOVA INFECÇÃO
Covid-19: após 3 semanas de queda, casos de coronavírus avançam no Brasil puxados por 9 Estados
TRISTEZA NA FAMILIA
Seis pessoas da mesma familia morrem vítimas da Covid-19
NOVAS REGRAS
WhatsApp: o que acontece se você não aceitar novas regras do aplicativo até 15 de maio
FAMOSIDADES
Pai da campeã do 'BBB 21' Juliette vive em casinha de barro na Paraíba
CACHAÇA
Jovem enfia garrafa no ânus durante bebedeira e vai parar no hospital
ESCALADA DA VIOLÊNCIA
Operação mais letal da história deixa 25 mortos no Jacarezinho
VITIMA DO MASSACRE
'Fiquei vendo costurarem os ferimentos. Chorava, orava e agradecia por ele estar vivo, diz mãe
FRIO - FÁTIMA DO SUL NOVA ONDA DE FRIO
Frio de origem polar começa a ser sentido novamente e terá geada