Menu
SADER_FULL
quarta, 26 de fevereiro de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
Brasil

Mineiro encontra papel de bala na Coca-Cola e ganha R$ 9.000

5 Jun 2010 - 07h19Por Folha Online

O motorista de ônibus Claudinei Rezende Alves, 39, ganhou direito a uma indenização por danos morais de R$ 9.300 por ter encontrado um corpo estranho, parecido com um papel de bala, numa garrafa de 1,5 litro de Coca-Cola. A decisão, do último dia 18, é do Tribunal de Justiça de Minas Gerais e saiu quase quatro anos depois do ocorrido, em julho de 2006.

Alves comprou a Coca-Cola num bar próximo a sua casa, em Divinópolis (MG). Ele morava com a mulher e as duas filhas, de quatro e de seis anos. A família preparava um jantar de sexta-feira, com pizza e o refrigerante.

"Eu deixei a Coca na mesa para esquentar um pouquinho, por causa das meninas, e vi", conta ele. "Estava muito estranha, tinha ferrugem no fundo e algo parecido com um papel de bala dentro."

Ele preferiu não abrir o produto, apesar da choradeira das filhas, e ligou no dia seguinte para o SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor) da empresa. "Eles falaram que isso não existia, porque o produto deles era de primeira qualidade, e que poderia ser uma fraude", conta Alves.

Para provar que não agia de má-fé, o consumidor levou a garrafa, ainda intacta, à Vigilância Sanitária do município. O órgão, então, comprovou que o produto estava vedado e possuía um corpo estranho em seu interior, "parecido com uma embalagem de bala", segundo o laudo.

Alves entrou na Justiça pedindo indenização por danos morais, mas perdeu na primeira instância. O juiz entendeu que não houve dano moral, já que ele não abriu a garrafa. "Então vou esperar passar mal para depois pedir indenização?", questiona o consumidor. "Tem que tomar cuidado é antes!"

No recurso de apelação ao TJ-MG, a desembargadora Hilda Teixeira da Costa, relatora do processo, considerou que o fato de se deparar com um corpo estranho em um produto é "humilhante, indigno e repugnante", o que justifica o dano moral. Para ela, é "incontroversa" a responsabilidade da Coca-Cola, que "rompeu com a relação de confiança entre consumidor e produtor".

A desembargadora fixou o valor de R$ 9.300 para a indenização --que, segundo o advogado Robervan Faria, pode chegar a R$ 15 mil depois de correção monetária.

Outro lado

A Coca-Cola ainda poderá recorrer ao STJ (Superior Tribunal de Justiça).

A empresa afirmou, por nota, que "não se posicionará sobre o caso enquanto a questão não tiver decisão terminativa no Poder Judiciário", indicando que irá recorrer da sentença.

A nota ainda ressalta que a Coca-Cola "segue rigorosamente os procedimentos determinados pelos órgãos de vigilância sanitária e controle de qualidade na fabricação de seus produtos".

Segundo a empresa, a fábrica de Belo Horizonte, de onde veio o refrigerante comprado por Alves, é referência em controle de qualidade e possui quatro certificações da norma ISO.

Deixe seu Comentário

Leia Também

REALITY SHOW 2020
BBB20: Felipe Prior grita com Flayslane em discussão e faz ‘ameaça’ polêmica
OPORTUNIDADE DE EMPREGO
Mais de 40 concursos oferecem 9.983 vagas e salários de até R$ 33,6 mil
NOVO CASO
Anitta posa com novo affair em camarote da sapucai pouco antes de subir ao palco
100 EXPEDIENTE
Bancos irão fechar na segunda e terça-feira de carnaval
AMOR DE GENRO
Motorista é flagrado levando a sogra no porta-malas
FATALIDADE
Motorista morre após carro sair da pista e ficar submerso em rio
BARBÁRIE
Adolescente de 17 anos é morta a facadas e tem cabeça levada até casa da mãe
CARNAVAL E TURISMO
Carnaval: Veja 6 destinos para descansar e contemplar as belezas de MS
VICENTINA - RAÇA NEGRA TÁ VINDO
Em noite de Feira Livre, prefeito surpreende e anuncia Raça Negra para o aniversário de Vicentina
TURISMO NO MS
Descubra a beleza das praias de água doce para curtir o Carnaval em MS