Menu
BANNER IMPRESSORAS
sábado, 13 de agosto de 2022
BANNER IMPRESSORAS
Busca
Brasil

Mercedes-Benz anuncia o retorno de Michael Schumacher à F-1 em 2010

23 Dez 2009 - 08h50Por Globo Esporte

O GP do Brasil, no dia 22 de outubro de 2006, tinha marcado o fim da carreira de um mito do automobilismo. Com o terceiro lugar em Interlagos e o vice-campeonato mundial, atrás de Fernando Alonso, Michael Schumacher se aposentava da Fórmula 1 após 16 temporadas, 250 GPs, sete títulos e 91 vitórias. Mas tudo isso mudou nesta quinta-feira, 23 de dezembro de 2009. A Mercedes anunciou na Alemanha o retorno do heptacampeão, aos 41 anos, à Fórmula 1.

- Após três anos, tenho a energia de volta e estou pronto para coisas sérias na categoria. O pescoço não estava bem no verão, mas tive o tempo para recuperá-lo completamente. Não tenho mais problemas no pescoço, está 100% - diz Schumi, em entrevista coletiva na Alemanha.

Michael Schumacher será piloto da Mercedes, equipe que surgiu após a compra da vitoriosa Brawn GP, por três temporadas e receberá R$ 17,8 milhões (€ 7 milhões). O veterano correrá ao lado do compatriota Nico Rosberg, que vive um momento diametralmente oposto na categoria. Enquanto o heptacampeão precisará lutar para continuar no topo do esporte, o jovem alemão ainda busca a afirmação na F-1. Após três temporadas na Williams, ele recebeu a chance de estar em um time de ponta.

O alemão tentou um retorno na temporada 2009, após o grave acidente de Felipe Massa no treino classificatório para o GP da Hungria, no dia 25 de julho. O brasileiro precisava de um substituto e a Ferrari recorreu ao heptacampeão, que aceitou o desafio. Contudo, após um teste com o F2007, carro de dois anos atrás, Schumi foi forçado a desistir da empreitada, por causa das lesões no pescoço ocasionadas por um acidente de moto no circuito de Cartagena, na Espanha, em 11 de fevereiro deste ano.

Com a contratação de Fernando Alonso pela Ferrari, a presença de Schumacher ficou inviabilizada no dia a dia da equipe na temporada 2010. O alemão renovou informalmente seu contrato de embaixador da marca, mas Luca di Montezemolo, presidente da fabricante italiana, liberou o heptacampeão do compromisso para que ele pudesse assinar pela Mercedes. Ele voltará a ser chefiado pelo amigo Ross Brawn, engenheiro-chefe da Ferrari na época mais vitoriosa de Schumi. O contrato foi assinado no início desta semana.

O retorno de Schumacher à Fórmula 1 pode servir também para o piloto pagar uma dívida de gratidão com a montadora alemã. A Mercedes-Benz bancou todo o seu início de carreira e o liberou do contrato de titular do time no Mundial de Protótipos por apenas US$ 300 mil em 1991. Com o acordo, ele pôde assumir a vaga de Bertrand Gachot na Jordan, após a prisão do belga, no GP da Bélgica daquele ano, em Spa-Francorchamps. Na prova seguinte, na Itália, o então novato foi contratado pela Benetton de Flavio Briatore para a vaga de Roberto Moreno.

 

Leia Também

ACIDENTE FATAL
Motociclista de 27 anos bate na traseira de trator e morre em vicinal
TRAGEDIA NA RODOVIA
Sete pessoas morrem e três ficam feridas em acidente entre caminhão e van
AUXILIO POPULAÇÃO
Governo libera empréstimo consignado para beneficiários do Auxílio Brasil
TRAGÉDIA
Carro explode durante abastecimento e amputa pernas de frentista
NOITE DE TERROR
Moradores relatam medo vivido em confronto com oito mortos
ACIDENTE DE TRABALHO FATAL
Trabalhador morre soterrado ao fazer limpeza em silo de grãos
AGRESSÃO NA ESCOLA
Mulher invade escola e espanca aluna a pauladas
COVID NO BRASIL
Covid-19: Brasil ultrapassa o número de 680 mil mortos pela doença
AUXÍLIO BRASIL AUXILIO POPULAÇÃO
Auxílio Brasil de R$ 600 e vale-gás saem hoje para mais um grupo
BRASIL + POBRE
Estudo mostra alta da pobreza em regiões metropolitanas