Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
domingo, 28 de novembro de 2021
Busca
Brasil

Mercado prevê PIB menor em 2009 e juros maiores em 2010

21 Dez 2009 - 09h53Por Folha Online

O mercado reduziu pela segunda semana consecutiva a expectativa para o PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro e espera agora redução de 0,23% em 2009, contra queda de 0,21% na semana anterior. De acordo com a pesquisa Focus feita na semana passada e divulgada nesta segunda-feira pelo Banco Central, a previsão para o próximo ano caiu de 5,3% para 5%.

Os economistas consultados pelo Banco Central aumentaram ainda suas previsões para a taxa básica de juros (Selic) para o fim do próximo ano de 10,63% para 10,75%. No início do mês, o Copom (Comitê de Política Monetária), em sua última reunião do ano, manteve pela terceira vez neste ano a Selic em 8,75%.

Na nota divulgada na quarta-feira passada, porém, o órgão disse avaliar que a taxa é suficiente para conter a inflação "neste momento", o que foi visto por alguns analistas como um sinal de que o Copom poderá aumentar a Selic nas próximas reuniões.

Em relação à inflação, o mercado manteve a previsão para o índice oficial, o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), na meta estabelecida pelo governo para o próximo ano, em 4,5%. Para este ano, a estimativa é que o índice termine em 4,29%,contra previsão de 4,31% feita na semana passada.

PIB

O mercado vinha prevendo PIB negativo durante todo este ano até o início de outubro, quando pela primeira vez projetou crescimento positivo da economia em 2009 --na ocasião, de 0,01%. Os economistas chegaram a prever crescimento de 0,21%, mas voltaram a apostar no encolhimento da economia após os números da semana passada.

Os economistas voltaram a prever PIB negativo na semana passada, após o IBGE divulgar que o crescimento do PIB no terceiro trimestre foi de 1,3%, e, em relação ao mesmo período do ano passado, houve queda de 1,2%. O governo atribuiu o valor abaixo do esperado --o ministro Guido Mantega (Fazenda) projetava crescimento de 2% em relação ao segundo trimestre-- às mudanças metodológicas feitas pelo IBGE.

Com o resultado, para que o PIB fique estável neste ano o crescimento no quarto trimestre terá que ser de pelo menos 5%.

Mais inflação

A previsão do mercado para o IGP-DI melhorou para queda de 1,27% neste ano, contra estimativa anterior de queda de 1,02% Para o IGP-M (Índice Geral de Preços - Mercado), passou para -1,35%, contra previsão de -1,30% da semana passada. Os dois indicadores são usados no cálculo dos reajustes de contratos e preços administrados, entre eles, contas de luz e aluguéis.

A previsão para o IPC (Índice de Preços ao Consumidor) da Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômica), passou de 3,87% para 3,82%. Para 2010, as previsões para os IGPs e para o IPC-Fipe ficaram em 4,5%.

O mercado aumentou a previsão para o dólar no fim deste ano para R$ 1,74, contra R$ 1,73 na semana anterior. Para 2010, a projeção foi mantida em R$ 1,75.

A previsão para o superavit da balança comercial foi mantida em US$ 25 bilhões e para o deficit nas transações correntes subiu para US$ 18,2 bilhões (contra US$ 18 bilhões).

A estimativa para os investimentos estrangeiros diretos ficou em US$ 25 bilhões neste ano e em US$ 35 bilhões em 2010. A projeção para a relação dívida/PIB aumentou para 44,8%, contra 44,5% na semana anterior.

 

Leia Também

COVID NO BRASIL
Covid-19: Brasil registra 229 óbitos e 9,2 mil novos casos
# PREVENIR É O REMÉDIO
Covid-19: Brasil registra 303 mortes e 12.126 casos em 24 horas
DESESPERO
Vídeo: veja momento em que calçada cede e pessoas caem em rio
PÂNICO NO AEROPORTO
Vídeo mostra passageiros gritando e muito desespero em avião da Azul; veja
EMBOSCADA
Jovem morre após ser atingida por tiro na cabeça
# PREVENIR É O REMÉDIO
Covid -19 casos sobem para 22,043 milhões e mortes, para 613,3 mil
ESTUPRO DE VUNERALVEL
Menina de 11 anos conta para avô que é estuprada pelo padrasto
CRUELDADE
Justiça nega exame de insanidade a mulher que esquartejou filho
MANIACO SEXUAL
Homem é filmado passando a mão em mulher no meio da rua
+ AUMENTO
Conta de luz deve subir mais de 20% no ano que vem, estima ANEEL