Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sexta, 25 de setembro de 2020
SADER_FULL
Busca
ZANZI
IVINHEMA

Médicos responderão por homicídio de bebê de Ivinhema

9 Set 2010 - 10h56Por Campo Grande News
Na reta final da investigação que apura a morte de Mibsan Rodrigues Cabreira, o delegado responsável pelo caso, Lupérsio Degerone, revela que os médicos envolvidos na briga que resultou na morte da menina serão indiciados por homicídio doloso.

Mibsan faleceu durante parto interrompido pela discussão “acalorada” dos médicos Sinomar Ricardo, 69 anos, e Orozimbo Ruela, 42 anos. A confusão aconteceu dia 23 de fevereiro deste ano, no Hospital Municipal de Ivinhema.

De acordo com o delegado, um depoimento foi fundamental para se chegar a esta tipificação. O médico Humberto Ferraz, que fez o parto da menina depois da briga, prestou depoimento na delegacia da cidade no fim do mês de agosto.

O objetivo da oitiva era identificar em que momento teve início o parto. O depoimento do profissional durou quatro horas e foi esclarecedor, segundo o delegado.

Lupérsio explica que, na versão de Humberto, o parto começa quando as contrações se iniciam. Desta maneira, se enquadra em homicídio doloso, neste caso, por dolo eventual.

“No direito brasileiro existem teorias e uma delas é a da viabilidade pela vida. O entendimento é de que se o feto já estava pronto, sem problema de saúde, e há interrupção na sequência, há entendimento de que seria homicídio”, detalha o delegado.

No primeiro momento da investigação ele apontou a possibilidade de indiciamento por aborto. No entanto, com a declaração do médico, houve a mudança no entendimento do policial.

O delegado pondera que, depois da conclusão do inquérito, o caso vai para o MPE (Ministério Público Estadual) e, posteriormente, à Justiça. “Também depende da denúncia (do MPE)”, pontua.

Ele ressalta a complexidade do caso. “Eu nunca ouvi falar em algo assim. É preciso analisar com calma”, completa.

A previsão é de conclusão do inquérito ainda este mês. “Já estamos com todos os laudos nas mãos”, destaca.

Laudo pericial aponta que o bebê teve sofrimento agudo até ser retirado do útero da mãe por meio de uma cesárea. O exame foi feito em amostra da placenta colhida logo após o episódio, no dia 23 de fevereiro.

O resultado confirma que a briga entre os profissionais foi determinante para a morte da criança.

Mudança - Os médicos envolvidos na morte da menina se mudaram de Ivinhema. Orozimbo passou a trabalhar em Deodápolis e Sinomar em Campo Grande, segundo o delegado.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Motorista registrou a travessia de uma jiboia na avenida Ayrton Senna, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. FORA DO HABITAT
VÍDEO: motorista flagra jiboia cruzando pista de avenida no RJ: 'olha isso'
Só queria que me entendessem sem preconceito! PRECONCEITO
Jovem é expulso de casa ao assumir namoro com mulher trans
Yan e um comparsa renderam mãe e filha na rua CRIMINOSO
Bandido morto pela PM arrancou família de carro e agrediu mulher uma semana antes
O diesel não sofreu reajuste. + ALTA
Gasolina sobe 4% nas refinarias, anuncia Petrobras
O total de mortes causadas por covid-19 chega a 138.108, um acréscimo de 0,6% sobre a soma de segunda Saúde
Covid-19: Brasil tem 33,5 mil novos casos e 836 mortes em 24 horas
HERANÇA PORTUGUESA
A herança portuguesa na vida cotidiana do Brasil
Os beneficiários nascidos em janeiro  3,9 milhões de pessoas  poderão sacar AJUDA FINANCEIRA
Caixa paga nova parcela do auxílio emergencial para 5,6 milhões de pessoas
o maior programa de assistência aos mais pobres no Brasil e talvez um dos maiores do mundo PRESIDENTE NA ONU
Bolsonaro diz que brasileiros receberam mil dólares de auxílio
Imagem: Reprodução/Balanço Geral Londrina FUGA EM MASSA
Presos fogem de cadeia após surto de Covid-19
Material estava dentro de uma bexiga e enrolado com fita isolante PROFUNDEZAS DO CRIME
8 celulares e outros materiais são retirados do ânus de preso