Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quinta, 6 de maio de 2021
Busca
Brasil

Médicos organizam mobilização nacional por melhorias na saúde

22 Set 2010 - 09h22Por portal.cfm.org.br

No mês de outubro, em que se comemora o Dia do Médico, profissionais de todo o país pretendem estar em Brasília, no dia 26, quando está prevista uma mobilização nacional durante a qual as lideranças das entidades apresentarão aos gestores, aos tomadores de decisão e à sociedade brasileira a pauta mínima de reivindicações para garantir à população assistência adequada e ao profissional condições de exercer a medicina com dignidade.

Para o 2º vice-presidente do CFM, Aloísio Tibiriçá, a saúde tem que ser prioridade de qualquer governo.

“Nós [médicos brasileiros] colocaremos para a sociedade e autoridades mais amplamente nossas preocupações em relação à situação dos médicos e ao atendimento da saúde no país.

A saúde é a principal preocupação dos brasileiros, segundo todas as pesquisas. Vamos dar ao tema o eco necessário para que entre definitivamente na pauta dos governos atuais e futuros".

A comissão organizadora, formada pela Associação Médica Brasileira (AMB), Conselho Federal de Medicina (CFM) e Federação Nacional dos Médicos (Fenam), se reuniu em 16 de setembro para definir as atividades.

A proposta é agendar reunião com o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, simbolizando o Poder Executivo, na data da mobilização.

Na oportunidade, os médicos exporão as preocupações da categoria. A seguir, no mesmo dia, pretendem realizar uma caminhada em direção ao Congresso Nacional, culminando com um ato público no local com a participação de líderes partidários.

Os detalhes da mobilização serão disponibilizados nos sites das entidades médicas nacionais.

A mobilização nacional alicerça as deliberações do XII Enem e deve abraçar os pontos constantes do relatório final daquele fórum.

Antes de 26 de outubro devem ocorrer outras atividades no âmbito dos Estados, por meio das entidades locais (conselhos regionais, sindicatos e associações médicas).

A meta é ampliar ao máximo a caixa de repercussão da pauta médica, inserindo a categoria no debate sobre as questões relacionadas à assistência.

Para Renato Azevedo Júnior, vice-presidente do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp), com as atividades apoiadas pela AMB, CFM e Fenam, os profissionais reforçam a luta: “é chegada a hora de os médicos se mobilizarem, com os demais setores da sociedade, em defesa da valorização da assistência médica”.

Médicos exigem melhorias na saúde

No mês de outubro, em que se comemora o Dia do Médico, profissionais de todo o país pretendem estar em Brasília, no dia 26, quando está prevista uma mobilização nacional durante a qual as lideranças das entidades apresentarão aos gestores, aos tomadores de decisão e à sociedade brasileira a pauta mínima de reivindicações para garantir à população assistência adequada e ao profissional condições de exercer a medicina com dignidade.

Para o 2º vice-presidente do CFM, Aloísio Tibiriçá, a saúde tem que ser prioridade de qualquer governo.

“Nós [médicos brasileiros] colocaremos para a sociedade e autoridades mais amplamente nossas preocupações em relação à situação dos médicos e ao atendimento da saúde no país.

A saúde é a principal preocupação dos brasileiros, segundo todas as pesquisas. Vamos dar ao tema o eco necessário para que entre definitivamente na pauta dos governos atuais e futuros".

A comissão organizadora, formada pela Associação Médica Brasileira (AMB), Conselho Federal de Medicina (CFM) e Federação Nacional dos Médicos (Fenam), se reuniu em 16 de setembro para definir as atividades.

A proposta é agendar reunião com o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, simbolizando o Poder Executivo, na data da mobilização.

Na oportunidade, os médicos exporão as preocupações da categoria. A seguir, no mesmo dia, pretendem realizar uma caminhada em direção ao Congresso Nacional, culminando com um ato público no local com a participação de líderes partidários.

Os detalhes da mobilização serão disponibilizados nos sites das entidades médicas nacionais.

A mobilização nacional alicerça as deliberações do XII Enem e deve abraçar os pontos constantes do relatório final daquele fórum.

Antes de 26 de outubro devem ocorrer outras atividades no âmbito dos Estados, por meio das entidades locais (conselhos regionais, sindicatos e associações médicas).

A meta é ampliar ao máximo a caixa de repercussão da pauta médica, inserindo a categoria no debate sobre as questões relacionadas à assistência.

Para Renato Azevedo Júnior, vice-presidente do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp), com as atividades apoiadas pela AMB, CFM e Fenam, os profissionais reforçam a luta: “é chegada a hora de os médicos se mobilizarem, com os demais setores da sociedade, em defesa da valorização da assistência médica”

Deixe seu Comentário

Leia Também

VITIMA DO MASSACRE
'Fiquei vendo costurarem os ferimentos. Chorava, orava e agradecia por ele estar vivo, diz mãe
FRIO - FÁTIMA DO SUL NOVA ONDA DE FRIO
Frio de origem polar começa a ser sentido novamente e terá geada
TERROR NA CRECHE
Sob forte emoção moradores de Saudades realizam velório coletivo das vítimas do ataque à creche
CHEGANDO FORTE
Frio chega com força e provoca geada no Sul
TERROR EM CRECHE
Jovem invade escola e mata três crianças e duas funcionárias
PÉSSIMA PROJEÇÃO
Covid-19: Brasil deve alcançar 575 mil mortes em 1º de agosto, diz instituto
SONHO INTERROMPIDO
Jovem perde noivo para a Covid-19 no dia do casamento: 'Nossos sonhos ficaram para trás'
PANDEMIA CORONAVIRUS
Triste número: Brasil ultrapassa 400 mil mortes por Covid-19
REVOLTA
Pastor zomba da fé dos indígenas Trukás que revoltados quebram templo em construção; veja o vídeo
VIOLAÇÃO
Vereador abre caixão para provar que idoso não morreu de covid; assista