Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sábado, 23 de janeiro de 2021
Busca
Brasil

Médico comprou 15 l de anestésico para Michael Jackson, diz testemunha

11 Jan 2011 - 06h56Por G1

Segundo um farmacêutico, o doutor Conrad Murray, médico que cuidava da saúde de Michael Jackson quando o cantor morreu, encomendou a uma farmácia de Las Vegas mais de 15 litros de propofol, o poderoso anestésico que matou o cantor.

As informações são de veículos de mídia locais que acompanham a audiência preliminar desta segunda-feira (10). A série de depoimento definirá se Conrad Murray vai a julgamento por homicídio culposo, sem intenção de matar.

Murray teria comprado 255 frascos nos três meses anteriores à morte de Jackson, em quatro encomendas entre 6 de abril e 10 de junho de 2009, disse o farmacêutico Tim Lopez. Ao todo foram 130 frascos de propofol com doses de 100 mililitros e outros 125 frascos com doses menores, de 20 mililitros. Jackson morreu no dia 25 de junho de 2009.

O propofol é normalmente usado em hospitais, como em cirurgias, mas Jackson pedia que lhe fosse ministrado em casa como ajuda para dormir

Deixe seu Comentário

Leia Também

GANGUE DO TIJOLO
Menores entre 13 e 17 anos formam bando e fazem 'arrastão'; veja vídeo
LUZ DO DIA
Empresário é executado com três tiros dentro de carro
SELFIE DA MORTE
Professora tenta tirar selfie e morre afogada ao cair no mar
tratamento precoce prefeito curitiba 100 TRATAMENTO
"Estão no Cemitério", diz prefeito de Curitiba sobre pessoas que usaram tratamento precoce Covid-19
A CASA CAIU
Mulher invade casa e flagra namorado fazendo sexo com outra; veja vídeo
LINHA DE FRENTE
'Ele lutou até o final', diz irmã de médico de 28 anos, após quase um mês morreu de Covid-19
SEU BOLSO
Litro da gasolina sobe R$ 0,15 nas refinarias da Petrobras
ESTUPRO DE VULNERÁVEL
Na calada da noite, namorado da avó estupra criança de 12 anos e é espancado por vizinhos
CONCURSO PÚBLICO
Concurso da Aeronáutica somam com as 21 mil vagas em outros concursos que a semana oferece
DEU RUIM
Jovem é atingido por raio enquanto usava celular no banheiro