Menu
SADER_FULL
quinta, 1 de outubro de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ZANZI
Brasil

Medicamento falso é consumido em grande quantidade no Brasil

3 Ago 2010 - 05h10Por Portal da Educação

Os brasileiros são os que mais consomem medicamentos falsos em todo o mundo. A Organização Mundial da Saúde (OMS) identifica nesta categoria remédios pirateados, contrabandeados e aqueles que não têm registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Esses números preocupam a Anvisa, que pretende alertar a população sobre o mal de consumir produtos falsificados.

De acordo com a Anvisa, 20% dos remédios vendidos no país são falsos. Por isso os consumidores devem ficar atentos às características da embalagem que certificam que o produto não é falsificado ou irregular. Remédios falsos podem provocar problemas de saúde, agravar sintomas que já existem e até levar à morte.

Entre os itens de segurança estão a caixa do medicamento, a raspadinha e o selo ou lacre que torna a embalagem inviolável, tudo deve estar sempre fechado. No caso da raspadinha, ela fica em uma das duas laterais da embalagem, possui tinta reativa que não descasca e ao ser friccionada com objeto de metal expõe a palavra “qualidade” e a logomarca da empresa.

Outra observação importante é verificar se a embalagem não foi violada e está em boas condições. “Distinguir um medicamento verdadeiro de um falsificado, embora possa parecer simples, pode confundir o consumidor ao ter de lembrar-se de todos os detalhes que demonstram a originalidade do produto, daí a importância imprescindível de solicitar a presença do farmacêutico na farmácia, que deverá esclarecer com propriedade todas as dúvidas relacionadas ao remédio e sua procedência”, completa a tutora do Portal Educação, Carolina Marlien.

Para identificar um medicamento verdadeiro as pessoas podem observar nas embalagens o nome comercial do medicamento, denominação genérica da substância ativa, nome, endereço e CNPJ do detentor de registro no Brasil, bem como o nome do fabricante e local de fabricação do produto.

Outro ponto a ser observado é a data de fabricação e validade. No medicamento deve constar também o número do lote, o telefone do Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC), cuidados de conservação com indicação da faixa de temperatura e condições de armazenamento e a sigla MS seguida do número de registro no Ministério da Saúde. O registro inicia-se com o número 1 e possui treze dígitos.

Vale a consciência do cidadão em não adquirir medicamentos de ambulantes, em feiras ou pela Internet. O consumo de medicamentos requer cuidado e deve sempre ser comprado em farmácias e drogarias com a orientação do farmacêutico.

No caso de suspeita de produto falso, o consumidor pode fazer denúncia ao Procon do seu município ou procurar a vigilância sanitária (Anvisa), que também avalia a denúncia por e-mail (ouvidoria@anvisa.gov.br), pelo número 0800 642 9782 da Central de Atendimento ou disque Saúde
0800 61 1997.

Deixe seu Comentário

Leia Também

FORNALHA
Cidades do MS e PI devem quebrar record histórico de temperatura no Brasil nesta quinta feira
FURIA DA NATUREZA
Tempestade causa estragos e deixa cidades sem energia
AUXILIO EMERGENCIAL
Auxílio Emergencial extensão: publicado calendário de pagamento
funcionário da Celpe, José Reginaldo de Santana júnior, 31 anos CRIME HEDIONDO
Funcionário de empresa é executado após realizar corte de energia
imagem Google ABERTURA FRONTEIRA
Pedro Juan Caballero vive expectativa da abertura da fronteira
BRASIL - 142.921 MORTES
Covid-19: Brasil registra 863 óbitos e 32.058 novos casos em 24h
AGORA É LEI
AGORA É LEI: Prisão de até 05 anos para maus-tratos contra cães ou gatos
PANDEMIA
Covid-19: Brasil tem 142 mil óbitos e 4,74 milhões de casos acumulados
+ CONSUMO
Intenção de consumo das famílias volta a crescer após cinco quedas
Motorista registrou a travessia de uma jiboia na avenida Ayrton Senna, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. FORA DO HABITAT
VÍDEO: motorista flagra jiboia cruzando pista de avenida no RJ: 'olha isso'