Menu
SADER_FULL
quinta, 6 de maio de 2021
Busca
Brasil

MEC investiga universidade por suspeita de cobrança indevida no Fies

18 Ago 2010 - 18h17Por G1

A Secretaria de Educação Superior (Sesu) do Ministério da Educação abriu processo administrativo contra a Universidade Anhembi Morumbi, localizada em São Paulo, para apurar denúncia de cobrança de mensalidade de uma aluna de medicina beneficiada com 100% de bolsa pelo Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies). A portaria foi publicada nesta quarta-feira (18) no Diário Oficial da União.

O MEC determinou ainda, em despacho da secretária de Educação Superior, Maria Paula Dallari Bucci, que a universidade matricule a estudante no segundo semestre deste ano, “garantindo à aluna pleno acesso às aulas e demais atividades regulares do referido curso”.

O despacho da secretária afirma que “o impedimento da matrícula da estudante no segundo semestre de 2010 pode acarretar grave prejuízo ao seu aprendizado e à continuidade regular de sua graduação”.

Se a denúncia for comprovada, as penalidades previstas são ressarcimento dos valores à estudante e ao fundo e a suspensão, por período a ser definido, da renovação do contrato com o Fies. A universidade tem dez dias para se manifestar após receber a notificação sobre a abertura do processo administrativo.

Em comunicado enviado ao G1, a Universidade Anhembi Morumbi afirmou que a inclusão da aluna no Fies foi postergada porque ela não obteve aproveitamento acadêmico para renovação do benefício nos prazos determinados. Ainda segundo a universidade, a aluna foi aprovada após revisão de nota.

Veja a íntegra da nota da universidade:
"Em relação à publicação do Diário Oficial referente à cobrança de mensalidade indevida da aluna inscrita no FIES 2010, a Universidade Anhembi Morumbi esclarece:
1) A aluna em questão teve seu processo de inclusão do FIES deste semestre postergado por não ter obtido o aproveitamento acadêmico necessário para renovação do benefício nos prazos determinados. As normativas vigentes concedem aos alunos o direito de solicitar revisão de nota. Conforme solicitação da aluna, a universidade realizou o procedimento e após a revisão da nota a aluna foi aprovada;
2) A aluna, inclusive, havia sido informada pela Universidade sobre sua aprovação e seu processo de matrícula, bem como a inclusão no contrato do FIES 2010, estavam em processo de formalização."

Irregularidades
Na primeira semana de agosto, o MEC abriu processos administrativos contra 11 universidades para apurar possíveis irregularidades no Fies. As portarias foram publicadas no Diário Oficial da União nos dias 4 e 6 de agosto.

Segundo a Sesu, que investiga o caso, estudantes beneficiados pelo financiamento denunciaram as universidades por não repassarem o desconto coletivo concedido a todo aluno que paga a mensalidade antes do prazo. Era cobrado o valor cheio de quem tinha Fies. A legislação do financiamento prevê que esse tipo de desconto tem de ser repassado aos beneficiados pelo fundo.

Deixe seu Comentário

Leia Também

VITIMA DO MASSACRE
'Fiquei vendo costurarem os ferimentos. Chorava, orava e agradecia por ele estar vivo, diz mãe
FRIO - FÁTIMA DO SUL NOVA ONDA DE FRIO
Frio de origem polar começa a ser sentido novamente e terá geada
TERROR NA CRECHE
Sob forte emoção moradores de Saudades realizam velório coletivo das vítimas do ataque à creche
CHEGANDO FORTE
Frio chega com força e provoca geada no Sul
TERROR EM CRECHE
Jovem invade escola e mata três crianças e duas funcionárias
PÉSSIMA PROJEÇÃO
Covid-19: Brasil deve alcançar 575 mil mortes em 1º de agosto, diz instituto
SONHO INTERROMPIDO
Jovem perde noivo para a Covid-19 no dia do casamento: 'Nossos sonhos ficaram para trás'
PANDEMIA CORONAVIRUS
Triste número: Brasil ultrapassa 400 mil mortes por Covid-19
REVOLTA
Pastor zomba da fé dos indígenas Trukás que revoltados quebram templo em construção; veja o vídeo
VIOLAÇÃO
Vereador abre caixão para provar que idoso não morreu de covid; assista