Menu
SADER_FULL
sexta, 5 de junho de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

MEC antecipa os principais pontos do PDE

23 Abr 2007 - 17h54
O Ministério da Educação (MEC ) acaba de divulgar os principais pontos do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE) que será lançado oficialmente nesta terça-feira (24), às 11h, pelo presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, em conjunto com o ministro, Fernando Haddad.
 

A maior parte das medidas já havia sido anunciada no mês passado quando o governo apresentou o plano para educadores e pediu sugestões desses profissionais. A prioridade do programa é a educação básica, que vai do ensino infantil ao médio. Confira os principais pontos do programa:

 

  • Criação do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) e apoio às prefeituras que têm os indicadores educacionais mais baixos. O Ideb leva em conta o rendimento dos alunos, a taxa de repetência e a evasão escolar. Se fosse avaliada hoje, a educação básica brasileira teria uma média aproximada de quatro pontos numa escala que vai de zero a dez. Nos próximos 15 anos, o Brasil terá que alcançar nota seis no Ideb, a mesma média dos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). O MEC vai investir cerca de R$ 1 bilhão em 2007 - recursos adicionais ao Fundo da Educação Básica (Fundeb) - para atender aos mil municípios com os piores Idebs; 
     
  • Implantação da Provinha Brasil para avaliar a alfabetização de crianças de 6 a 8 anos; 
     
  • Crédito do BNDES de R$ 600 milhões para compra de ônibus e até barcos para o transporte escolar. São R$ 300 milhões para o Programa Caminho da Escola: atendimento a alunos da educação básica das redes públicas na zona rural. Outros R$ 300 milhões serão destinados ao Proescolar: atendimento a alunos das redes estadual e municipal, das zonas rural e urbana. A indústria automobilística criou um veículo padrão, de custo mais baixo, para transportar as crianças com segurança; 
     
  • Olimpíada de Língua Portuguesa, em 2008, em cerca 80 mil escolas e com a participação de 7 milhões de alunos; 
     
  • Informatização de todas as escolas públicas: serão instalados laboratórios de informática em todas as escolas públicas até 2010. Os computadores já foram adquiridos e enviados a todas as 27 unidades da federação, em acordo com os secretários de educação. Em seguida escolas urbanas de 5ª a 8ª com mais de 200 alunos e todas as escolas rurais com mais de 50. Nos dois últimos anos, as demais. A idéia é beneficiar 130 mil escolas.
     
  • Energia elétrica até o ano que vem em todas as escolas públicas, dentro do programa Luz para Todos; 
     
  • O MEC e o Ministério de Ciência e Tecnologia vão lançar edital no valor de R$ 75 milhões para estimular a produção de conteúdos didáticos digitais; 
     
  • Criação de um piso salarial de R$ 850 para todos os professores da rede pública do país. A implantação do piso será gradual até 2010 para não comprometer o orçamento de estados e prefeituras; 
     
  • Até 2010 uma parceria das universidades públicas com as prefeituras vai implantar mil pólos de formação de professores em todo o país, principalmente nas pequenas e médias cidades do interior. É o programa Universidade Aberta, que mescla o ensino presencial com a modalidade à distância. Além de suprir a demanda de professores, servirá para fixar o profissional em sua cidade ou região, evitando a perda de pessoas capacitadas para os grandes centros urbanos; 
     
  • O Programa Brasil Alfabetizado terá um novo desenho. Pelo menos, 75% dos alfabetizadores serão professores da rede pública municipal e estadual. São cem mil professores que vão receber, além do salário, uma bolsa de R$ 200 por mês para alfabetizar adultos no turno em que não estão lecionando para as crianças. 
     
  • Instalação de 150 escolas técnicas nas cidades-pólo. Os municípios foram escolhidos levando em conta critérios de interiorização do desenvolvimento e de criação de oportunidades para que o jovem do interior não abandone sua cidade; 
     
  • Também serão criados os Institutos Federais de Educação Tecnológica, com a missão de ofertar educação pública para fortalecer os arranjos produtivos locais; 
     
  • Na educação superior, a principal medida é a ampliação do acesso. As universidades federais que abrirem ou ampliarem cursos noturnos e reduzirem o custo/aluno vão ganhar mais verbas. A meta é dobrar o número de vagas. Hoje são 580 mil e, 
     
  • Articulação entre o Fies e o ProUni, permitindo o financiamento de 100% das bolsas parciais do ProUni e a quitação da dívida ativa consolidada das instituições de ensino superior. O novo programa pode gerar cem mil vagas por ano.

 

 

G1

Deixe seu Comentário

Leia Também

VÍDEO - CAPIVARA BOA DE MERGULHO
Capivara boa de mergulho é flagrada em rio de MS, assista
CASO DE POLÍCIA
Patroa é presa sob suspeita de homicídio culposo após filho de empregada cair do 9º andar
LUTA PELA VIDA
Cantora gospel que morreu por coronavírus, fez vaquinha para pagar tratamento
ELEIÇÕES 2020
Vai ter eleição, TSE autoriza convenções partidárias virtuais para eleição deste ano
BOA NOTICIA
Auxílio emergencial deve ser estendido em mais duas parcelas de R$ 300
TRAGEDIA
Empregada vai passear com cachorro, deixa filho com patroa e menino morre ao cair de prédio
FUTEBOL
Clubes de futebol brasileiros se unem contra homofobia
ASSUSTADOR E REAL NO BRASIL
Com uma morte por minuto, Brasil registra 1.349 mortes por coronavírus nas últimas 24h, novo recorde
JULGAMENTO
TSE julga se cassa Bolsonaro e vice a partir de terça
AUXILIO DOENÇA
Como pedir concessão e prorrogação do auxílio-doença durante pandemia