Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quinta, 2 de julho de 2020
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

MCT vai pedir que Senado libere pesquisa com embriões

20 Jul 2004 - 17h17
O Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) vai defender junto aos senadores a liberação das pesquisas com células-tronco de embriões humanos, anunciou o ministro Eduardo Campos, em seu pronunciamento na 56.ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC). Ele argumentou que estas pesquisas são fundamentais para o desenvolvimento científico do País.

"Há resistências localizadas contra a liberação dessas pesquisas, essenciais para o desenvolvimento da ciência brasileira", disse Campos. "O MCT vai atuar firmemente em favor da liberação, no que, tenho certeza, terá o apoio da SBPC e da Academia Brasileira de Ciências."

O ministro também anunciou que, até 2007, o setor de ciência e a tecnologia terá investimentos de R$ 37,6 bilhões, o que representa 54% a mais do que os R$ 24,4 bilhões empregados de 2000 a 2003. Os recursos, disse ele, integram o Plano Estratégico do ministério.

Posição

Foi a primeira vez que o MCT se posicionou oficialmente sobre a polêmica das pesquisas com embriões. A SBPC e instituições de peso, como a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) já se mobilizaram para mostrar aos senadores a importância de eliminar restrições às pesquisas com células-tronco, voltadas à busca de tratamento para doenças como Alzheimer, Parkinson e diabetes, entre outras.

O Senado está analisando a Lei de Biossegurança, que trata deste assunto – entre outros – e há a possibilidade de adicionar uma emenda liberando as pesquisas com embriões humanos. O texto da lei, aprovado em fevereiro na Câmara dos Deputados, proíbe estas pesquisas.

Resistência

A utilização de células-tronco de embriões humanos enfrenta forte resistência de grupos religiosos como a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e os evangélicos, que têm uma bancada considerável no Congresso. O texto da Lei de Biossegurança foi definido na Câmara em meio a desinformação e temores de que os cientistas quisessem clonar seres humanos. A CNBB divulgou nota recentemente argumentando que embriões humanos são seres vivos, e que não podem ser manipulados por cientistas.

Os pesquisadores pedem que a lei autorize o uso de embriões congelados nas clínicas de fertilização assistida – que são jogados no lixo depois de algum tempo. Também pedem o direito de produzir embriões clonados dos próprios pacientes, para que as células-tronco extraídas provoquem menor rejeição.

Os cientistas usam embriões até o estágio de blastocisto, quando são um algomerado de algumas dezenas de células in vitro.

 

Estadão

Deixe seu Comentário

Leia Também

ELEIÇÕES 2020
Câmara dos Deputados aprova em primeiro turno adiamento das eleições municipais de 2020
100 INTERMEDIÁRIO
Venda direta de etanol das usinas para postos pode aumentar concorrência, diz Bolsonaro
CICLONE BOMBA NO BRASIL
CICLONE BOMBA: Sobe para 10 o número de mortos no Sul do país, VEJA OS ESTRAGOS
FURIA DA NATUREZA
Ao menos nove pessoas morreram devido a ciclone que atingiu Região Sul
NOTÍCIA BOA - BORA COMPARTILHAR
Teste de vacina de COVID-19 funciona e Pfizer pode produzir 1 bi de doses
FÁTIMA DO SUL - INAUGURADO
Fátima do Sul é a escolhida para a 4ª Unidade do Posto Alvorada que comemora 20 anos de sucesso
COVID-19
Brasil tem 1.409.693 casos de Covid-19, aponta consórcio de veículos da imprensa em boletim das 8h
TORMENTA
Tempestade e ventos fortes causam destruição em cidade: “Parece filme de terror”
DIDI
Renato Aragão deixa a Globo, após 44 anos
+ 1.200 REAIS
Governo vai aceitar pagar mais duas parcelas de R$ 600 do auxílio emergencial