Menu
SADER_FULL
segunda, 12 de abril de 2021
Busca
Brasil

Marisa Serrano retoma à tarde presidência do PSDB

13 Out 2004 - 13h01
A vice-prefeita eleita de Campo Grande, Marisa Serrano, retoma nesta tarde a presidência do PSDB em reunião da Executiva estadual. Ela tinha se afastado para o período eleitoral e foi substituída pelo ex-deputado Jonatan Barbosa.
Marisa disse que para esta tarde espera ter a presença dos atuais prefeitos do partido e os eleitos, citando Flávio Kayatt (Ponta Porã) e Nelson Cintra (Porto Murtinho), que são membros da Executiva. Na reunião, será feita uma análise do desempenho do partido nas eleições.
Em 2000, o PSDB elegeu 23 prefeitos em Mato Grosso do Sul. Na época, o partindo tinha mais espaço no cenário político, tendo a presidência da República, como Fernando Henrique Cardoso. Neste ano, conseguiu eleger seis prefeitos. A presidente reconhece que o partido concorreu desta vez com estrutura partidária reduzida, mas destacou a coesão dos tucanos. Ela disse que houve derrota em cidades que esperava vitória. Campo Grande News.

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOVO CÓDIGO DE TRANSITO
Novo Código de Trânsito entra em vigor na segunda-feira; veja mudanças
LOCKDOWN É A SOLUÇÃO?
Araraquara X Bauru: dois retratos do Brasil com e sem lockdown contra a covid-19
AGRICULTURA SUSTENTAVEL NO MUNDO
II Congresso Mundial de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta deve receber 1 mil inscrições
MORTANDADE
Brasil bate marca de 4 mil mortes por Covid registradas em um dia pela 1ª vez
COPA LIBERTADORES
Santos vence o San Lorenzo na Argentina e abre vantagem por vaga nos grupos da Libertadores
FATALIDADE
Técnico de informática morre após levar choque a partir de fone de ouvido
CANALHA
Pai comete estupro e diz que filha precisa saber "como é ter um homem"
SOB INVESTIGAÇÃO
Cantor gospel e pastor é encontrado morto e amarrado em árvore
CONTAMINAÇÃO
Igrejas superam mercado e consultório médico em risco de transmissão de Covid-19, aponta estudo
CRISE NA PANDEMIA
Número de brasileiros que vivem na pobreza quase triplicou em seis meses, diz FGV