Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
segunda, 20 de setembro de 2021
Busca
Brasil

Marçal se reúne com produtores do assentamento Itamarati

17 Mar 2010 - 10h24Por Dourados Agora

Dando sequência aos contatos que vem mantendo todos os finais de semana com a população de Dourados e dos municípios da região para extrair suas prioridades e necessidades, o deputado federal Marçal Filho (PMDB/MS) esteve neste final de semana no Assentamento Itamarati, localizado no município de Ponta Porã. O assentamento ocupa uma ex-propriedade do Grupo Itamarati, do empresário Olacir de Moraes - que na década de 70 foi considerado o “rei da soja”. A área do assentamento, que totaliza 74 mil hectares e abriga mais de 10 mil famílias assentadas, foi assumida pelo Governo Federal em 2002, quando o empreendimento do grupo fracassou e a fazenda foi adquirida pelo Banco Itaú, como garantia hipotecária.

         O assentamento, que foi projetado para ser um dos ícones da reforma agrária no Brasil, não chegou a fracassar, mas está muito longe do que foi idealizado. Foi o que expressou ao deputado o presidente da Associação dos Moradores e Funcionários da Fazenda Itamarati (AMFI), João Pedro Soares de Sousa. Ele solicitou a intervenção de Marçal Filho junto aos órgãos responsáveis (principalmente o INCRA) para a execução de obras e serviços, como a melhoria das estradas, melhoria na segurança dos assentados e aquisição de ambulância. Apesar dessas dificuldades estruturais, segundo o representante dos produtores os índices de produção, que abrangem leite, gado e soja, vem crescendo, dependendo apenas de maior apoio oficial para que o assentamento se consolide não apenas como agricultura de subsistência como também de geração de renda para os assentados.Uma das dificuldades é a distancia  de  municípios pólos, como Dourados (60 kms) e Ponta Porã (100 kms), o que dificulta uma maior presença dos poderes públicos.

         Durante a reunião com os produtores Marçal Filho destacou a contribuição da agricultura familiar, base dos assentamentos, para a produção de alimentos no Brasil, principalmente dos que compõem a cesta básica. “Em alguns produtos básicos da dieta do brasileiro como o feijão, arroz, milho, hortaliças, mandioca e pequenos animais a agricultura familiar chega a ser responsável por 60% da produção”, ponderou o deputado, afirmando que isso por si só merece uma atenção especial dos governos, sobretudo no que se refere ao crédito, assistência técnica e infra-estrutura para escoamento da produção. Ele admitiu que embora haja um esforço importante do Governo Federal com programas como o Pronaf, programas estaduais de assistência técnica e associativismo há um imenso desafio a vencer.Como medida concreta para auxiliar os produtores  do assentamento Marçal Já agendou uma reunião com o superintendente do INCRA, Waldir Cipriano Nascimento, ao qual vai solicitar o atendimento das reivindicações feitas pelos assentados.

Deixe seu Comentário

Leia Também

LUTO NA TV
Ator Luis Gustavo morre aos 87 anos, vítima de câncer
EM DECLINIO
Covid-19: Brasil registra 21,2 milhões de casos e 590,7 mil mortes
TSUNAMI NO BRASIL?
Brasil pode ser atingido por tsunami; entenda
SERPENTE
Rapaz de 18 anos é atacado por jararaca durante pescaria
TRIBUNAL DO CRIME
Traficantes enterram mulher viva para vingar denúncia
TEMPESTADE
Temporal derruba árvore sobre carros e deixa bairros no escuro
VOLTOU A SUBIR
Covid-19: ministério registra 34,4 mil casos e 643 mortes em 24 horas
COMOÇÃO E REVOLTA
Menina de 5 anos é morta com tiro na cabeça enquanto caminhava para comprar lanche
CEF de Fátima do Sul OPORTUNIDADE
Caixa abre concurso com salários de mais de R$ 3 mil; confira
QUASE 600 MIL MORTES
Covid-19: mortes sobem para 588,5 mil e casos, para 21,03 milhões