Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
segunda, 29 de novembro de 2021
Busca
Brasil

Maioria das capitais registra alta na cesta básica, diz Dieese

4 Nov 2009 - 09h31Por Folha Online

A maior parte das capitais onde o Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) realiza a pesquisa sobre cesta básica registrou aumento no preço dos produtos em outubro.

Doze locais apresentaram variações situadas entre 0,06% (São Paulo) e 2,37% (Belo Horizonte). Em Goiânia, o aumento foi muito superior ao das demais cidades, chegando a 9,2%, enquanto em Vitória (-0,64%), Manaus (-1,01%), Recife (-1,10%) e Fortaleza (-1,26%) ocorreram quedas nos valores dos gêneros de primeira necessidade.

O valor mais elevado para a cesta básica no país foi verificado em Porto Alegre (R$ 248,29). Em São Paulo, os produtos essenciais custaram R$ 230,03 e em Florianópolis, R$ 226,37. As capitais mais baratas foram Aracaju (R$ 168,15), Fortaleza (R$ 170,29) e João Pessoa (R$ 175,19).

Somente duas capitais apresentaram aumento nos preços dos gêneros alimentícios entre janeiro e outubro deste ano: Belém (1,88%) e Salvador (2,37%). Nos outros 15 locais, o custo da cesta registrou variação acumulada negativa, com destaque para Natal (-14,03%), Fortaleza (-13,70%), Aracaju (-13,00 e João Pessoa (-12,65%).

Nos últimos 12 meses terminados em outubro, 10 das 17 capitais pesquisadas registraram redução, com destaque para Natal (-7,71%), Fortaleza (-7,13%) e Aracaju (-6,62%). As maiores elevações foram registradas em Salvador (8,23%), Vitória (5,16%) e Recife (4,16%).

Carne

Em outubro, carne bovina e óleo de soja subiram em todas as localidades, enquanto açúcar e tomate tiveram aumento em 14. A alta no preço da carne, produto com maior peso na cesta, teve, como destaque, os aumentos apurados para Goiânia (10,78%), Rio de Janeiro (3,33%), Salvador (3,19%), Brasília (2,95%) e Belo Horizonte (2,89%). As menores elevações ocorreram em Fortaleza (0,95%), Vitória (0,59%), São Paulo (0,49%) e Porto Alegre (0,37%).

No período anual, porém, a carne está mais barata em 13 capitais, com as principais retrações registradas em Florianópolis (-11,57%), Natal (-10,45%), Porto Alegre (-8,68%) e Curitiba (-6,52%). As quatro capitais onde houve alta foram: João Pessoa (10,92%), Recife (6,55%), Salvador (3,19%) e Fortaleza (1,72%).

Os principais motivos do aumento mensal são a demanda internacional mais aquecida e a queda na produção argentina devido à redução do rebanho, segundo o Dieese. O clima atípico com excesso de chuva no período de estiagem contribuiu para o crescimento das pastagens, o que deve permitir a engorda do gado e portanto, maior oferta da carne com barateamento ou, pelo menos, estabilidade no preço caso a demanda mundial não cresça demasiadamente.

 

Leia Também

TRAGÉDIA NA LINHA DO TREM
vítima comemorou aniversário do marido um dia antes de morrer com a filha em acidente com trem
COVID NO BRASIL
Covid-19: Brasil registra 229 óbitos e 9,2 mil novos casos
# PREVENIR É O REMÉDIO
Covid-19: Brasil registra 303 mortes e 12.126 casos em 24 horas
DESESPERO
Vídeo: veja momento em que calçada cede e pessoas caem em rio
PÂNICO NO AEROPORTO
Vídeo mostra passageiros gritando e muito desespero em avião da Azul; veja
EMBOSCADA
Jovem morre após ser atingida por tiro na cabeça
# PREVENIR É O REMÉDIO
Covid -19 casos sobem para 22,043 milhões e mortes, para 613,3 mil
ESTUPRO DE VUNERALVEL
Menina de 11 anos conta para avô que é estuprada pelo padrasto
CRUELDADE
Justiça nega exame de insanidade a mulher que esquartejou filho
MANIACO SEXUAL
Homem é filmado passando a mão em mulher no meio da rua