Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 26 de janeiro de 2021
Busca
Brasil

Mães são investigadas por "trocar" as filhas de 11 e 12 por comida e drogas

11 Abr 2011 - 09h05Por Campo Grande News

A Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente) investiga dois casos de mães suspeitas de “vender” as filhas para a prostituição.

As informações que chegaram à Polícia revelam que as meninas, de 11 e 12 anos, foram negociadas por droga, comida e presentes.

Elas já foram retiradas do poder das mães e estão em abrigos por questão de segurança. A mais nova está grávida de 6 meses e as investigações também vão apontar quem é o pai da criança.

O primeiro caso chegou ao conhecimento da Depca em 21 de março, quando uma menina de 12 anos foi encontrada em um barracão no Jardim Campo Nobre.

A mãe procurou a Polícia, disse que ela havia sido sequestrada e que estava em uma boca-de-fumo. Quando os policiais chegaram à casa descobriram outra história.

Ela disse que a mãe é usuária de drogas e havia obrigado a garota a manter relações sexuais com o vizinho de 52 anos. A mãe morava com o homem e, em troca de dinheiro e “estadia”, negociou a filha.

A garota alega que o abuso ocorre há um ano e que ele ameaçava deixar a mãe na rua, caso não aceitasse mais manter relação com ele.

De acordo com a delegada titular da Depca, Regina Mota, os indícios apontados pelas testemunhas, que serão preservadas, são suficientes. Os dois foram indiciados, ele por estupro de vulneável e favorecimento à prostituição, e, ela por favorecimento à prostituição.

Mais abuso - Dois dias depois, novo caso foi recebido pela delegacia. Denúncia anônima indicava ao Conselho Tutelar que uma garota de 11 anos era vítima de exploração sexual no Bairro Zé Pereira.

Quando o caso começou a ser investigado, foi descoberto que a menina está grávida de 6 meses e morava com um rapaz de 28 anos.

A menina revelou que em troca de “presentes” a mãe a levava para dormir com um homem de 60 anos, amigo da família.

Os dois casos não têm relação e são investigados em inquéritos policiais instaurados no mês passado pela Depca. A previsão é de que os casos sejam concluídos até o fim do mês.

No caso da menina gestante, os suspeitos não foram indiciados porque faltam algumas testemunhas para prestar depoimento.

Entretanto, a delegada ressalta: “serão indiciados”. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

AUXILIO POPULAÇÃO
Governo federal aprova auxílio emergencial para 196 mil pessoas
UTI LOTADAS
13 crianças com covid estão em estado grave em Cuiabá
ESTUPRO DE VULNERÁVEL
Mãe descobre estupro ao desconfiar que filha de 12 anos tinha ciúmes do padrasto
VIRUS A SOLTA
Caixão com corpo que tinha identificação de risco biológico por Covid é achado em estrada
TRAGEDIA NA RODOVIA
Jovem fez vídeo antes de morrer em acidente no Paraná: 'Devagar, motora'
FATALIDADE
Padre cai de pedra em cachoeira e corpo é encontrado em poço
GANGUE DO TIJOLO
Menores entre 13 e 17 anos formam bando e fazem 'arrastão'; veja vídeo
LUZ DO DIA
Empresário é executado com três tiros dentro de carro
SELFIE DA MORTE
Professora tenta tirar selfie e morre afogada ao cair no mar
tratamento precoce prefeito curitiba 100 TRATAMENTO
"Estão no Cemitério", diz prefeito de Curitiba sobre pessoas que usaram tratamento precoce Covid-19