Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
domingo, 9 de agosto de 2020
SADER_FULL
Busca
BANNER ECO TOUR
Brasil

Mãe teria matado e enterrado recém-nascido em São Paulo

14 Mar 2007 - 17h27

 

A dona de casa Elda Barbosa, 33 anos, residente no bairro Potiguara, no município de Panorama (SP), foi presa na noite de ontem, acusada por ocultação de cadáver e suspeita por crime de homicídio. Segundo a polícia, ela teria dado à luz, matado e enterrado a criança. Após ter enterrado o filho, cães teriam cavado e retirado o cadáver da cova.
De acordo com o delegado Alexandre Luís Luengo Lopes, a Polícia Civil foi informada pelo Conselho Tutelar do município que a mulher teria dado à luz a criança, mas o recém-nascido estaria desaparecido.

"A mãe foi questionada e, em uma primeira resposta, afirmou que a criança ainda não havia nascido. Para desfazer a dúvida, a levamos para uma consulta médica. Ficou constatado que a criança já havia nascido, o que tornou falsa a sua primeira versão", afirmou o delegado.

Segundo Lopes, em novo interrogatório, Elda confessou que havia dado à luz um menino em sua própria casa, e que o parto ocorreu no dia 8 de março. A mulher também disse que "o nenê chorou muito quando nasceu e sofreu muito antes de morrer". A mulher acabou apontando o local, nos fundos do quintal, onde havia enterrado o corpo da criança.

"Ela ainda explicou que, após ter enterrado o corpo, os cães cavaram e retiraram o corpo da criança da cova rasa. Então a mãe ateou fogo nos restos mortais e voltou a enterrar no mesmo local", afirmou o delegado.

Policiais foram até a residência de Elda, onde a mulher apontou o local onde havia enterrado o corpo. Os investigadores cavaram e encontraram os restos.

A Polícia Civil instaurou inquérito para apurar os fatos e foi solicitada a prisão temporária de Elda. Ela foi presa ontem e está recolhida na cadeia pública feminina de Tupi Paulista (SP).

Elda será submetida a exame de sanidade mental. Seus familiares também serão interrogados. A polícia aguarda a conclusão do laudo necroscópico, realizado ontem à noite pelo Instituto Médico Legal de Dracena.

A mãe está sendo investigada por crime de homicídio e ocultação de cadáver. A lei prevê que caso a mulher tenha agido sob influência do estado puerperal, ela responderá por delito de infanticídio, com pena reduzida em relação ao homicídio.

 

 

Terra

Deixe seu Comentário

Leia Também

OPORTUNIDADE NO MS
JBS oferece 600 vagas de emprego em 6 cidades de MS
VACINA COVID 19
Bolsonaro diz que vacina contra covid deverá estar disponível em dezembro
FALSIFICAÇÃO
Nota falsa de R$ 200 começa a circular
REABERTURA DO COMÉRCIO
Brasil e Paraguai podem reabrir comércio na fronteira em 10 dias, diz ministro
REINFECÇÃO EM ALERTA
Novo coronavírus tem segundas novas ondas de reinfecção e acendem sinal de alerta
FÁTIMA DO SUL - DICA CIA DO BICHO
Saiba o que são rações terapêuticas, Cia do Bicho destaca vários tipos, confira
BRASIL - 96.326 MORTES
Brasil tem 2.817.473 casos de Covid-19, indica consórcio de veículos da imprensa em boletim das 13h
EXPLOSÃO EM BEIRUTE
Libanês se emociona e diz: Parecia uma bomba atômica, que acabou com tudo
BORA PRA BONITO - MS
Crie laços com a natureza em Bonito, MS!
LUTO NO CIRCO
Palhaço mais velho do Brasil morre aos 77 anos vítima de coronavírus