Menu
SADER_FULL
sábado, 16 de outubro de 2021
Busca
Brasil

Lula critica PSDB; Alckmin ataca caso dossiê

26 Set 2006 - 13h09
No penúltimo programa de TV da campanha para a Presidência da República, o candidato Luiz Inácio Lula da Silva repetiu as propostas para a segurança pública apresentadas no rádio durante a manhã desta quarta-feira. O petista prometeu desmantelar a "indústria do crime" e criticou a atuação do governo do PSDB no combate à criminalidade. Os tucanos, por sua vez, exploraram o caso da compra do dossiê, que comprovaria o envolvimento de José Serra e Geraldo Alckmin com a máfia das ambulâncias. Os documentos teriam sido comprados por petistas.

A abertura do programa petista mostrou uma moradora do nordeste, que percorrerá oito quilômetros para votar no domingo e garantir o "sonho de manter o homem do povo na Presidência". O narrador convocou os eleitores a fazer o mesmo no dia 1°.

Durante o programa, Lula apresentou projetos para a área da segurança pública, que segundo ele "é um problema que atinge a maior parte dos governos no mundo". "Antes de Lula pouco foi feito na segurança. Não havia investimentos na área, nem articulação com os Estados", criticou o narrador.

"Criamos a Força Nacional da Segurança, já estão funcionando os Gabinetes de Gestão Integrada e estamos implantando o Sistema Penitenciário Federal, que estava no papel desde 1984. Estamos fortalecendo a Polícia Federal para que ela, além de combater o crime organizado, sirva de exemplo para outras policias estaduais", avaliou Lula.

Os petistas destacaram a construção da Penitenciária de Catanduva e os projetos de criação de outros três presídios. Com imagens de animação gráfica, o programa mostrou a segurança nas penitenciárias. "A chance de entrar com armas, drogas e celulares é zero", assegurou o narrador.

O programa destacou ainda o reforço no efetivo da Polícia Federal, que saltou de 7 mil para 15 mil homens durante a gestão de Lula. "Pela primeira vez o Brasil viu gente rica indo para cadeia." Além disso, os petistas abordaram a realização de 276 operações da PF e a prisão de 1300 pessoas envolvidas com corrupção.

"Há muito tempo a questão de segurança não era encarada com tanta seriedade pelo governo federal. A maior prova é a Polícia Federal, que hoje é uma polícia eficiente, com agentes preparados e tecnologia de ponta", avaliou Lula.

"Estamos lutando para derrotar o crime organizado e vamos ganhar essa guerra. Vamos investir cada vez mais em planejamento, inteligência e tecnologia. Porque o nosso objetivo é desmantelar a indústria da criminalidade. E isso está acima de qualquer interesse político", finalizou.

Para encerrar o programa do PT nesta terça, o narrador fez críticas abertas ao PSDB. "O Brasil sabe muito bem quem deixou São Paulo refém do crime organizado. E os paulistas sabem quem mandou engavetar 60 processos de CPI para preservar seu partido. A hipocrisia e o desprezo ao povo não voltarão jamais a governar esse País." O candidato Geraldo Alckmin (PSDB) explorou o caso dossiê para levar a eleição ao segundo turno. Os tucanos mostraram imagens dos petistas envolvidos com o caso e ligaram seis integrantes do partido, entre eles Ricardo Berzoini, ex-coordenador de campanha de Lula, ao atual presidente.

"A eleição está chegando. Por isso é importante você saber o que está acontecendo. O escândalo do dossiê feito para prejudicar a candidatura do Alckmin já atingiu diversos homens de confiança do Lula. É importante q você veja os fatos como são e tire suas próprias conclusões. O que está acontecendo é um dos maiores escândalos da historia do Brasil", disse o narrador do PSDB.

Os tucanos questionam as declarações de Lula, afirmando que não sabia da compra dos documentos. "Que presidente é esse que não sabe o que seus homens de confiança fazem?", questionou. O PSDB resgatou imagens de escândalos como o mensalão e a propina dos Correios para dizer que o caso do dossiê "não é o primeiro nem o segundo escândalo do PT".

Após as críticas, o programa de Alckmin apresentou projetos desenvolvidos pelo candidato durante a gestão no governo de São Paulo: a construção de 225 mil casas populares, de hidrelétricas, estradas e de 19 hospitais. "Este é Geraldo Alckmin apostando no desenvolvimento e gerando empregos para os brasileiros."

Alckmin apresentou as propostas de seu Plano Nacional de Desenvolvimento, com projetos para todas as regiões do País. Prometendo trabalhar ao lado de aliados políticos, o candidato garantiu que seu projeto tem dois objetivos: "o primeiro é transformar o Brasil em um grande canteiro de obras, gerando trabalho para todos e oportunidades para os jovens. O segundo é fazer ações para melhorar a vida das pessoas", disse.

O tucano listou projetos para os Estados de Minas, Rio de Janeiro, Goiás, Pará, Pernambuco, Bahia, Paraná e São Paulo. "Vou trabalhar em parceria com o Serra para continuar o metrô, o trecho sul do Rodoanel e repassar recursos para combater o crime organizado", completou Alckmin.

A candidata Heloísa Helena (Psol) voltou a criticar o PT e o PSDB e se apresentou como alternativa ao País. "Caixa dois e sanguessugas. O PT e o PSDB são iguais. Para passar o Brasil a limpo, vote Heloísa Helena", destacou o programa. O horário da senadora convocou os eleitores para o debate dos candidatos nesta quinta-feira. "Assista e confirme seu voto em Heloísa para presidente", concluiu.

Já Cristóvam Buarque (PDT) criticou o caso dossiê e prometeu a implantação de Centros de Solidariedade ao Trabalhador nas principais cidades do País. "E vou implantar também um centro de qualificação do trabalho", garantiu.

 

Terra Redação

Leia Também

LIÇÕES DA BÍBLIA
Ame o Senhor, seu Deus
BRASIL VERDE
Governadores avançam na criação de consórcio em defesa do desenvolvimento sustentável
LIÇÕES DA BÍBLIA
Estudo adicional
LIÇÕES DA BÍBLIA
Outras imagens
LIÇÕES DA BÍBLIA
Seu povo especial
REVOLTANTE
Vanessa, de 18 anos, é atropelada e morre após reagir a assédio
LIÇÕES DA BÍBLIA
O livro da aliança
PAVOROSO
Acumulador de lixo transforma rua de cidade modelo em paraíso das ratazanas
JOGOS MORTAIS
Escola envia carta aos pais alertando sobre a série 'round 6'
NAUFRÁGIO
Barco naufraga e duas pessoas desaparecem; buscas continuam nesta segunda (11)