Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 25 de janeiro de 2022
Busca
Brasil

Leia o artigo “Rio 2016”, por Pastor Luciano Gazola

5 Out 2009 - 11h05Por Pastor Luciano Gazola

O Rio de Janeiro vai sediar os jogos olímpicos de 2016. Copenhague a luxuosa e moderna capital dinamarquesa foi o palco do anuncio que por alguns instantes parou o Brasil, pelo menos o Rio de Janeiro, se bem que para o Rio de Janeiro parar basta um bom samba!  Assisti com expectativa o anuncio. O Rio venceu.  Nós podemos, disse o Presidente Lula plagiando Barack Obama. Mas será mesmo que podemos?

 

 

Confesso que o lado direito do meu cérebro se emocionou, puxa deixamos para trás nada mais nada menos do que Chicago a rica cidade americana, Madrid a menina dos olhas da Espanha, Tóquio a capital mundial da tecnologia e dos Japoneses, impressionante! Se fosse no futebol tudo bem, mas vencemos na preferência de um comitê inteiro com a expressiva vantagem de 66 votos a 34, os técnicos do COI pensam ou viram no Rio de Janeiro o potencial para que sejamos sede do maior evento esportivo mundial! Belo o discurso triunfalista de nosso presidente, triufalista, humilde, mas também politicamente correto por que ate ao Cristo Redentor ele agradeceu.  Não sou do tipo que falo mal de autoridade, os membros de minha igreja sabem disso, detesto ver pessoas menosprezando ou debochando das autoridades constituídas em nosso país. Recebo toda semana vários e-mails de gente debochando do presidente ou fazendo piadinhas, eu costumo deletá-los. Acho que temos mais o que fazer do que ficar repassando e-mails deste tipo, ao meu ver Lula tem ido longe, mas nem por isso posso deixar de interrogar, arrazoar sobre algumas coisas. Sabemos que o povo brasileiro tem no sangue a emoção, vivemos em uma nação capaz de produzir gente como o Guga que disse; as olimpíadas merecem o Rio de Janeiro e gente como Pelé que chamou Michael Jordam de Michael Jackson... O mesmo país que teve Airton Senna tem Nelsinho Piquet. Agora achar que podemos abrigar o maior evento esportivo do mundo é no mínimo preocupante. Já estive no Rio e para mim como quase todo restante do país é uma cidade de contrastes assustadores. Temos Copacabana, mas também temos o Morro do Alemão, a Favela da Rocinha. Temos o Flamengo, mas também temos o Fluminense (brincadeirinha).  Meu medo é que estejamos camuflando nossas incapacidades através de uma capacidade que temos, de vender o que não somos. O Rio tem um transito infernal, é disparada uma das cidades mais violentas do nosso país, não tem hotéis que chega, além de tudo tem os políticos, os de lá, os daqui e os de Brasília. Será que o dinheiro vai chegar? Ou onde ele vai chegar?  O Rio tem sim a alma do povo brasileiro, tem a ginga como disse o presidente, tem a cor, tem o sorriso, mas também tem um monte de outras coisas que o belo filme de Meireles não mostrou, nem podia!

 

 

Espero que seja bom. Já que será que seja bom, não vou torcer contra, pelo contrário espero que nosso povo saiba aplaudir, pedir licença, dar a vez e que o tal espírito olímpico somado á nossa ginga possa nos fazer bem.

 

Pastor Luciano Gazola, pastorgazola@hotmail.com

 

 

Leia Também

ESTUPRO DE VUNERALVEL
Mãe vê partes íntimas vermelha, pergunta e filha de 2 anos aponta paro o tio
ACASALAMENTO DE COBRAS
Casal sucuri acasalando em rio assusta e impressiona turistas; veja vídeo
MEIO AMBIENTE
O número médio anual de relâmpagos do país aumentará para 100 milhões
COVID NO BRASIL
Em 24 horas, Brasil registrou mais 135.080 casos e 296 mortes por covid-19
Fábrica de placas solares  ENERGIA SOLAR
Brasil atinge 1 milhão de consumidores com geração própria de energia solar
BRASIL 622.205 MORTES
Com recorde de 204.854 novos casos, Brasil registra 350 óbitos em 24 horas
ALARMANTE
Brasil bate recorde de casos diários de covid-19 com 204,8 mil
OPORTUNIDADE DE EMPREGO
Funtrab ainda tem 916 vagas para indígenas trabalharem nas lavouras de maçãs em SC e RS
BAIXA RENDA
Auxílio Gás: governo libera o pagamento no valor de R$ 52
COVID NO BRASIL
Covid-19: Brasil tem um aumento e registra 351 mortes em 24 horas