Menu
SADER_FULL
domingo, 19 de setembro de 2021
Busca
Brasil

Leia o artigo "A engrenagem pútrida" por Bruno Peron

8 Mar 2010 - 11h36Por Bruno Peron Loureiro

Ainda tenho minhas dúvidas sobre como o Brasil, que tem muita gente que não presta, poderá ir para frente. Em cada depósito de esperança, surgem novas dívidas de desgraça.

Este país é tomado por aproveitadores, corruptos, assassinos e ladrões desde o cerne de movimentos populares às cúpulas de decisão.

            Os grandes debates políticos concentram-se no impasse entre Estado e mercado, mas deveriam primeiramente identificar onde está o "bem" e o "mal".

Os fragmentos do mapa do Brasil são assenhoreados em vez de compartilhados pelos tupinicas. Há raras exceções dos que se marginalizam da engrenagem pútrida por discordar de seu funcionamento.

            O termo "engrenagem" substitui o eufemismo "sistema" porque este já faz parte do vocabulário da condescendência e da resignação. Receitas de um país cuja culinária é apropriada pelos indivíduos, grupos e países pujantes.

            É fácil mudar um sofá de lugar, mas o mesmo não se pode dizer da cultura. Muito menos da cultura clientelista e vassala que se propaga na velocidade de um vírus H1N1 neste nosso "país do futuro".

            A venalidade dos políticos em corrida eleitoral anula qualquer pretensão de desenvolvimento no Brasil. O voto de um eleitor ponderado é imediatamente anulado pelo de outro que recebeu uma cesta básica para sustentar a horda de filhos que dispõem de um triste destino pré-natal: a pobreza espiritual e material. A produção em série de descendentes é interessante para os mordedores do mapa tupinica.

            É um problema duplo: de ordem educativa e econômico-social.

            Dando continuidade ao tema da decadência tupinica, entorpece o fato de que viver atrás das grades tem sido opção em vez de flagelo.

Somado à constatação de que "autoridades" têm direito a cela com televisão por assinatura e ar-condicionado, quando não burlam a justiça por sua posição de destaque nos negócios e na sociedade, o criminoso que recolhe a taxa mensal como segurado da Previdência Social tem direito ao auxílio-reclusão, que é uma bolsa de R$798,30 dirigida à família do presidiário que tiver filhos.

            O valor é maior que o salário mínimo de R$510. A condição de presidiário lhe dá esse direito renovável a cada três meses pelo tempo em que estiver recluído. O criminoso sustenta a família sem laborar, enquanto o trabalhador livre muitas vezes ganha menos por uma atividade pesadíssima e sofre as piores explorações, inclusive do próprio Estado.

O Brasil está nadando em merda.

            Presidiários deveriam trabalhar para a sociedade, por exemplo na colheita ou construção civil, em retribuição ao dano causado e na emulação de sistemas carcerários que funcionam. Não há desgraça pior que o nosso complexo presidiário.

Não tarda muito para que apareça a expressão de que "falta vontade política" para mudar uma situação cujo desajuste é evidente e impostergável.

            Nalgum momento de meu ativismo, expressei que podemos perder tudo menos a nossa capacidade de sonhar. Chegou o momento em que temos que elevar a sinalização de protesto antes de que o lugar mais digno de viver seja a placenta.

            Precisamos impulsionar a educação, reinventar a política e dizer basta aos excessos cometidos contra a cidadania. O mapa tupinica está cheio de mordidas e, por isso, apresenta-se desgastado.

Chegará o momento das pessoas de bem, que não farão oposição em prol de interesses de classe senão de um convívio coletivo e responsável.

A esperança reside naqueles que preservam os sonhos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TSUNAMI NO BRASIL?
Brasil pode ser atingido por tsunami; entenda
SERPENTE
Rapaz de 18 anos é atacado por jararaca durante pescaria
TRIBUNAL DO CRIME
Traficantes enterram mulher viva para vingar denúncia
TEMPESTADE
Temporal derruba árvore sobre carros e deixa bairros no escuro
VOLTOU A SUBIR
Covid-19: ministério registra 34,4 mil casos e 643 mortes em 24 horas
COMOÇÃO E REVOLTA
Menina de 5 anos é morta com tiro na cabeça enquanto caminhava para comprar lanche
CEF de Fátima do Sul OPORTUNIDADE
Caixa abre concurso com salários de mais de R$ 3 mil; confira
QUASE 600 MIL MORTES
Covid-19: mortes sobem para 588,5 mil e casos, para 21,03 milhões
LIÇÕES DA BÍBLIA
Uma rua de mão dupla
LATROCINIO
Dupla invade casa, tranca mulher e crianças em quarto e mata homem degolado