Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 22 de setembro de 2020
SADER_FULL
Busca
ZANZI
Brasil

Leia a crônica “O MUNDO QUE NÃO ACABA NUNCA”, por Gilberto Mendes

10 Ago 2010 - 12h02Por Gilberto Mendes

O MUNDO QUE NÃO ACABA NUNCA

 

 

A primeira vez que vi o mar foi uma emoção arrebatadora.

 

 

Cheguei à frente dele e o fiquei olhando, os olhos se esticando, se esticando, e o fim não chegava nunca, o mar engolia o horizonte se engalfinhava com ele, misturava-se a ele, um tornando-se o outro, o outro tornando-se o um.

 

 

Não me fiz de rogado, tirei a camiseta e joguei-a na areia branca, fiquei somente de sunga e corri para as águas que me convidavam para um abraço. Tornei-me criança novamente... Pulava e gritava, cantava loas para a maravilha de estar ali, de sentir a brisa marinha no rosto, a água salgada tocando todo o meu corpo, os pés pisando a areia, o som do mar – que coisa fantástica é o som do mar, as ondas quebrando nas rochas, a maré vindo beijar delicadamente a orla, o sol que se doava generosamente para todos, me senti mais perto de Deus e de todas as coisas, através do mar, do mar...

 

 

Sai purificado daí algum tempo e procurei a camiseta que havia atirado na praia e, descobri, que a maré havia levado-a para os confins do oceano. Não fiquei triste, pensei comigo que era um preço razoavelmente barato para pagar pela felicidade que havia recebido gratuitamente.

 

 

 

Olhei para o mar, onde ele beija o horizonte e, em pensamento, numa conversa intima com ele, como se fossemos dois velhos amigos, agradeci por tudo e por todos. Fui-me embora, de sunga mesmo, a casa em que estava era perto e os amigos já me aguardavam para o almoço.

 

 

Cheguei ao meu quarto e vi sobre a cama, a minha camiseta que havia deixado na praia. Perguntei para alguém que passava se ele sabia como ela havia chegado até ali e, este alguém me disse que um amigo meu havia trazido para mim...

 

 

Sai do quarto e fui para fora, para a rua, de onde podia ver o mar, para agradecer novamente. Olhei para ele fixamente, e com o coração despejei a minha gratidão num sussurro que como uma vaga levada pelo vento alcançou o mar e beijou-o em sua face.

 

 

No mar, uma gigantesca onda se formou e veio se quebrar na orla, tocando com seus lábios prateados e sorridentes a praia branca...

 

 

 

... O mar respondia e me convidava para cirandar em suas águas...

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

o maior programa de assistência aos mais pobres no Brasil e talvez um dos maiores do mundo PRESIDENTE NA ONU
Bolsonaro diz que brasileiros receberam mil dólares de auxílio
Imagem: Reprodução/Balanço Geral Londrina FUGA EM MASSA
Presos fogem de cadeia após surto de Covid-19
Material estava dentro de uma bexiga e enrolado com fita isolante PROFUNDEZAS DO CRIME
8 celulares e outros materiais são retirados do ânus de preso
Na Pandemia, filas são imensas na CEF de Fátima do Sul-MS AUXILIO POPULAÇÃO
Caixa libera hoje saques do auxílio emergencial para mais 3,6 milhões
uma greve foi deflagrada em protesto contra uma proposta de privatização da estatal e pela manutenção de benefícios trabalhistas. CORREIOS
Após 5 dias de greve, os Correios devem retornar por determinação do TST
No Brasil, diversos concursos públicos estão disponíveis. CONCURSOS
CRM-MS abre concurso com salários de até R$ 5 mil
 O empresário Eliel Moreira, seu Claudemir e sua família SOLIDARIEDADE
Amigos se unem e compram carro para catator de reciclagem
Cissa Amaral morreu no local e Sebastião Faria foi socorrido ACIDENTE FATAL
Enfermeira morre e policial civil fica ferido em acidente de moto
Lucas chegou a ser socorrido, mas morreu neste domingo FORAGIDOS
Jovem sai para buscar cachorro que escapou e é morto com 2 tiros
Os dois estão separados há dois meses e tem dois filhos juntos, os quais estavam morando com a mãe. TRAGÉDIA NA FAMILIA
Motorista da Energisa mata ex-mulher ontem e hoje comete suicídio