Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
domingo, 19 de setembro de 2021
Busca
Brasil

Leia a coluna Fala Sério “E a verdade?”, por A.J. Rettenmaier

3 Fev 2010 - 18h02Por A.J. Rettenmaier

E a verdade?

 

 

Não sei se já tiveram a oportunidade ou até mesmo se deram o trabalho a observar o resultado da discussão entre duas ou até mesmo mais pessoas em torno de um assunto, mas sempre existem a minha, a sua, a deles, verdades. Cada um quer por como valor maior, a sua.

 

Quando duas pessoas discutem então, a coisa complica mesmo. Sempre existe a verdade de um querendo ser a verdade sobre o outro, mas jamais qualquer dos dois pensa na Verdade.

 

Isso acontece porque normalmente o ser humano se habitua a fazer ou pelo menos tentar fazer prevalecer a sua, e se fica mal acostumado a que os outros aceitem, então vai se colocar sempre juiz supremo da verdade e jamais aceita que exista uma Verdade.

 

Na maioria das vezes também pouco importa se sua frieza possa machucar aos outros ou outro. Na melhor das hipóteses, é melhor que a outra parte logo aceite a sua verdade para evitar danos ainda piores, porque se não aceitar logo essa verdade, terá o desprezo, a frieza doída da falta de resposta, e porque não também o duro sentimento de que está demais. “Ou cai de joelhos à minha frente e aceita a minha verdade, ou...”

 

Mas será que a verdade, aquela verdade verdadeira como se diria popularmente, é sempre realmente procurada? Na maioria das vezes, não. Prefere-se ficar com a verdade que melhor que mais nos faz bem, que menos nos machuque, mesmo que para isto tenhamos que nos fazer de cegos ou quase isso.

 

Tudo isso me faz lembrar a piada que a blogueira Jussara Ivelise Custódio do Minhoca na Cabeça contou dias atrás.

 

Um dia a rosa encontrou a couve-flor e disse:

 

“Que petulância lhe chamarem de flor! Veja sua pele! É áspera e rude enquanto a minha é lisa e sedosa. Veja seu cheiro! Desagradável e repulsivo, enquanto o meu perfume é sensual e envolvente. Veja seu corpo! É grosseiro e feio, enquanto o meu é delicado e elegante. De flor, você não tem nada! Eu sim sou uma flor!”

 

E a resposta da couve-flor?

 

“Heeeelllloooouuuuu!!! Queeeriiiidaaaaaaaa!!! Aaaacoooordaaaaa!

 

De quê adianta ser tão linda se ninguém lhe come? Hã?”

 

Pois é! Não está aí uma bela e simples verdade?

 

Tão simples que nos faz rir!

 

E continua a venda nosso “Fala Sério!” 2009... Peça o seu pelo e mail ajrs010@gmail.com e receba em casa pelo correio. Mais simples e barato do que pensa.

 

Escritor, colunista e palestrante, membro da AGEI, Associação Gaúcha dos Escritores Independentes.

 

Esta coluna está em mais de 70 jornais impressos e eletrônicos do Brasil e Exterior.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

TSUNAMI NO BRASIL?
Brasil pode ser atingido por tsunami; entenda
SERPENTE
Rapaz de 18 anos é atacado por jararaca durante pescaria
TRIBUNAL DO CRIME
Traficantes enterram mulher viva para vingar denúncia
TEMPESTADE
Temporal derruba árvore sobre carros e deixa bairros no escuro
VOLTOU A SUBIR
Covid-19: ministério registra 34,4 mil casos e 643 mortes em 24 horas
COMOÇÃO E REVOLTA
Menina de 5 anos é morta com tiro na cabeça enquanto caminhava para comprar lanche
CEF de Fátima do Sul OPORTUNIDADE
Caixa abre concurso com salários de mais de R$ 3 mil; confira
QUASE 600 MIL MORTES
Covid-19: mortes sobem para 588,5 mil e casos, para 21,03 milhões
LIÇÕES DA BÍBLIA
Uma rua de mão dupla
LATROCINIO
Dupla invade casa, tranca mulher e crianças em quarto e mata homem degolado