Menu
SADER_FULL
quinta, 24 de setembro de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ZANZI
Brasil

Lei Maria da Penha completa quatro anos protegendo as mulheres

12 Ago 2010 - 07h00Por Governo do Estado de Mato Grosso do Sul

A Lei Maria da Penha completou no ultimo sábado (7) quatro anos de existência e com resultados positivos, de acordo com órgãos da Rede de Estadual de Enfrentamento à Violência contra as mulheres.

Para a delegada Lucia Ferreira Falcão, titular da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) de Campo Grande, os números de ocorrências sobre violência doméstica vem aumentando consideravelmente, o que não quer dizer que a violência contra a mulher vem aumentado, e sim, que as mulheres tem buscado mais informações sobre os seus direitos através da Lei Maria da Penha.

“Com a ampla divulgação da Lei Maria da Penha, as mulheres estão buscando os seus direitos.

Mas não basta apenas denunciar o agressor, as mulheres devem também levar a ocorrência adiante, para que o caso seja tratado nas esferas judiciais.

Só assim, é possível garantir que a lei fez o seu trabalho por completo e também que o agressor não saia impune”, diz a delegada.

De acordo com dados da Deam, em 2009, 90% dos casos de violência doméstica foram concluídos pela polícia e encaminhados para a Justiça.

Os casos mais comuns registrados são: ameaça, lesão corporal, vias de fato e injúria.

Além da segurança, as mulheres vítimas de violência também recebem o suporte do Centro de Atendimento à Mulher e da Casa Abrigo, onde recebem orientações e assistência psicológica.

Segundo a coordenadora da instituição, Luiza Helena Al-Contar, as mulheres recebem um atendimento multidisciplinar e psicológico, além de apresentar soluções para que a vítima busque soluções para o seu caso.

“Muitas entram em contato conosco, com muito medo de que possam ser agredidas novamente após denunciar o agressor.

Nós oferecemos a essas vítimas um suporte psicológico e também a ajudamos a resolver a sua situação encaminhando-a para registrar ocorrência ou tratar o caso judicialmente.

A Lei Maria da Penha ajudou muito nessa questão, fez com que os direitos das mulheres fossem respeitados”, diz Luiza.

Políticas Públicas

A Coordenadoria Especial de Políticas Públicas para a Mulher do Estado de Mato Grosso do Sul vem realizando constantemente projetos para que os direitos das mulheres sejam garantidos e também que a Lei Maria da Penha seja cada vez mais aplicada de forma correta.

Para a coordenadora especial de Políticas Públicas para a Mulher, Carla Stephanini, a aplicação da Lei Maria da Penha representa o fortalecimento das mulheres.

“Podemos notar que a mulher hoje está mais forte e está perdendo o medo de denunciar o seu agressor.

Assim como a demanda em nossos centros de atendimento à mulher tem aumentado.

A lei garantiu uma perspectiva real de punição ao agressor”, disse a coordenadora.

Entre os projetos desenvolvidos pela coordenadoria que estão em processo de implantação estão: o aumento de unidades do centro de atendimento à mulher, passando de três municípios (Dourados, Campo Grande e Nova Andradina) para nove; a reestruturação das delegacias de atendimento às mulheres do Estado e a implementação de um curso de ressocialização do homem agressor.

Contato:

Central de Atendimento a Mulher: 180

1ª Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam): 3384-1149 ou 190

Centro de Atendimento à Mulher Cuña Ambaretê: 3361-7519 ou 0800-671236

Coordenadoria Especial de Políticas Públicas para a Mulher: 3318-1081 / 1082

Deixe seu Comentário

Leia Também

Só queria que me entendessem sem preconceito! PRECONCEITO
Jovem é expulso de casa ao assumir namoro com mulher trans
Yan e um comparsa renderam mãe e filha na rua CRIMINOSO
Bandido morto pela PM arrancou família de carro e agrediu mulher uma semana antes
O diesel não sofreu reajuste. + ALTA
Gasolina sobe 4% nas refinarias, anuncia Petrobras
O total de mortes causadas por covid-19 chega a 138.108, um acréscimo de 0,6% sobre a soma de segunda Saúde
Covid-19: Brasil tem 33,5 mil novos casos e 836 mortes em 24 horas
HERANÇA PORTUGUESA
A herança portuguesa na vida cotidiana do Brasil
Os beneficiários nascidos em janeiro  3,9 milhões de pessoas  poderão sacar AJUDA FINANCEIRA
Caixa paga nova parcela do auxílio emergencial para 5,6 milhões de pessoas
o maior programa de assistência aos mais pobres no Brasil e talvez um dos maiores do mundo PRESIDENTE NA ONU
Bolsonaro diz que brasileiros receberam mil dólares de auxílio
Imagem: Reprodução/Balanço Geral Londrina FUGA EM MASSA
Presos fogem de cadeia após surto de Covid-19
Material estava dentro de uma bexiga e enrolado com fita isolante PROFUNDEZAS DO CRIME
8 celulares e outros materiais são retirados do ânus de preso
Na Pandemia, filas são imensas na CEF de Fátima do Sul-MS AUXILIO POPULAÇÃO
Caixa libera hoje saques do auxílio emergencial para mais 3,6 milhões