Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 13 de abril de 2021
SADER_FULL
Busca
Brasil

Kerry critica Bush por deixar expirar lei sobre armas

13 Set 2004 - 13h20
O candidato presidencial democrata John Kerry disse hoje que o presidente dos EUA, George W. Bush, "optou por seus confrades na indústria das armas" quando permitiu que expirasse hoje a lei que proibia a venda de determinadas armas de fogo. A legislação, promulgada há uma década e que expirava hoje, proibia a venda de 19 tipos de armas de fogo de uso militar, e os republicanos, que têm maioria nas duas câmaras do Congresso, se recusaram a estender sua vigência.

O presidente Bush, que em toda sua carreira política recebeu grandes contribuições dos fabricantes de armas, que defendem o direito dos cidadãos a possuir armas sem restrição, "fez hoje uma escolha", disse Kerry em um discurso em Washington. "Bush escolheu seus poderosos amigos do bloco a favor das armas em vez dos oficiais de polícia e das famílias que prometeu proteger", afirmou.

Associações policiais de todo o país e familiares de pessoas mortas ou feridas por armas de fogo defenderam durante anos uma prorrogação da lei conhecida como "Lei Brady" em homenagem ao ex-secretário da Casa Branca, James Brady, ferido gravemente no atentado contra o presidente Ronald Reagan em 1981. A esposa de Brady, Sarah, que lutou energicamente em favor desta lei, disse hoje que Bush "poderia ter mostrado sua liderança indicando aos republicanos no Congresso que trouxessem o assunto para discussão".

Wayne LaPierre, presidente da Associação Nacional do Rifle (NRA, sigla em inglês), disse à rede CBS de televisão que as armas até hoje abolidas não são diferentes de qualquer outra arma de fogo que é vendida livremente e "não abrem buracos maiores que as outras".

Nos Estados Unidos há cerca de 300 milhões de armas de fogo nas mãos de uma população de 290 milhões. A maior parte desse arsenal é formado por pistolas e revólveres que são vendidos livremente em boa parte do país e com poucas restrições em alguns estados. As armas de uso militar, como os fuzis, podem ser vendidos com pequenas modificações, como a eliminação do mecanismo de repetição, algo que pode ser resposto em uma oficina de armamentos amadora.

 

Terra Redação

Deixe seu Comentário

Leia Também

EXEMPLAR
Cidade modelo que vacinou 64% da população vê casos de covid-19 caírem 78%.
NOVO CÓDIGO DE TRANSITO
Novo Código de Trânsito entra em vigor na segunda-feira; veja mudanças
LOCKDOWN É A SOLUÇÃO?
Araraquara X Bauru: dois retratos do Brasil com e sem lockdown contra a covid-19
AGRICULTURA SUSTENTAVEL NO MUNDO
II Congresso Mundial de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta deve receber 1 mil inscrições
MORTANDADE
Brasil bate marca de 4 mil mortes por Covid registradas em um dia pela 1ª vez
COPA LIBERTADORES
Santos vence o San Lorenzo na Argentina e abre vantagem por vaga nos grupos da Libertadores
FATALIDADE
Técnico de informática morre após levar choque a partir de fone de ouvido
CANALHA
Pai comete estupro e diz que filha precisa saber "como é ter um homem"
SOB INVESTIGAÇÃO
Cantor gospel e pastor é encontrado morto e amarrado em árvore
CONTAMINAÇÃO
Igrejas superam mercado e consultório médico em risco de transmissão de Covid-19, aponta estudo