Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
domingo, 13 de junho de 2021
Busca
Brasil

Justiça condena Durval a devolver R$ 9 milhões aos cofres DF

16 Jan 2010 - 11h30Por Folha

A Justiça condenou o ex-secretário do governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (sem partido) Durval Barbosa a devolver R$ R$ 9.282.637,53 aos cofres do governo local. Ele também foi condenado à suspensão, por oito anos, dos direitos políticos e à perda da função pública. Ainda cabe recurso da decisão.
A decisão é resultado da ação civil pública por ato de improbidade administrativa praticado em 2004, quando Durval era o presidente da Codeplan (Companhia do Desenvolvimento do Planalto Central), órgão do governo do DF.

Durval é o delator do esquema de corrupção no DF. Segundo o ex-secretário, o governador lidera um esquema de arrecadação de distribuição de propina entre aliados na Câmara Legislativa.

Além de Durval, também foram condenados quatro funcionários da Codeplan e o ICS (Instituto Candango de Solidariedade). A reportagem não localizou nenhum dos condenados para comentar a decisão.

Segundo a denúncia do Ministério Público do Distrito Federal, Durval e os demais réus foram responsáveis por diversos contratos administrativos envolvendo a Codeplan, o ICS e empresas privadas para desviar dinheiro público.

De acordo com a investigação do Ministério Público O "ICS funcionava como mero anteparo jurídico para a Codeplan desviar-se da exigência constitucional e legal da licitação pública com o objetivo de contratar serviços e adquirir equipamentos de forma superfaturada, causando prejuízo ao erário".

As investigações do Ministério Público revelaram que a contratação se deva em três fases. Na primeira, por meio de contrato de gestão, a Codeplan solicitava ao ICS que apresentasse proposta para execução de determinado serviço, com objeto amplo, indefinido e impreciso. Em seguida, o ICS apresentava a proposta com dados técnicos referentes a valores, prazos de execução, etc, e indicava terceira empresa para realizar o serviço.

Na terceira, a empresa subcontratada emitia nota fiscal contra o ICS, que, por sua vez aumentava 9% no valor da nota, como título de taxa de administração. A conta era paga integralmente pela Codeplan.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CÓDIGO DE TRÂNSITO
Mudanças no código de trânsito brasileiro e suas implicações para motoristas
ESPORTE PELO MUNDO
Em fase artilheira no Cazaquistão, lateral Bryan, ex-Cruzeiro, valoriza presença e relacionamento
FOTO: Só Notícias / Luan Cordeiro / ASSESSORIA COPA AMÉRICA 2021 - NO BRASIL
COPA AMÉRICA: Confira as 06 Seleções que jogarão na Arena Pantanal
biden vacinas capa 696x487 SOLIDARIEDADE
Biden anuncia que vai mandar vacinas para o Brasil e outros países
FENÔMENO RARO
Junho tem Eclipse Solar, Lua de Morango e dia mais longo do ano
PROTESTOS PELO BRASIL
29M pelo fora Bolsonaro chegou a mais de 200 cidades e ganhou as redes sociais
ATENTADO AO PUDOR
Prostitutas exibem partes íntimas no meio da rua, moradores reclamam, Vídeos
NA BRONCA
Bolsonaro aciona STF contra decretos estaduais que impõem restrições para conter Covid-19
BARBÁRIE
Homem encontra partes do corpo do filho em rio
FENÔMENO RARO
Super Lua de Sangue e Eclipse total acontece nesta quarta