Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 20 de outubro de 2020
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Juros do crédito para pessoa física têm leve alta e inadimplência cai

27 Mai 2010 - 05h33Por Agência Brasil

A taxa de juros cobrada das pessoas físicas teve leve alta de março para abril, passando de 41% ao ano para 41,1% ao ano, informou hoje (26) o Banco Central (BC). Para as empresas, a taxa permaneceu em 26,3% ao ano.

No caso das pessoas físicas, o cheque especial foi o que apresentou a maior alta – de 160,3% ao ano, em março, para 161,3% ao ano, em abril. A taxa do crédito pessoal, que inclui operações consignadas em folha de pagamento, apresentou alta de 0,2 ponto percentual, para 42,9% ao ano. Os juros anuais cobrados nos empréstimos para a compra de veículos ficou estável em 23,5%.

A inadimplência para as pessoas físicas apresentou queda de 0,2 ponto percentual em relação a março e ficou em 6,8%. No caso das empresas, a inadimplência se manteve em 3,6%. O BC considera inadimplência os atrasos superiores a 90 dias.

O spread (diferença entre a taxa de captação e a cobrada do tomador final) para pessoas físicas caiu 0,2 ponto percentual, para 29,5 pontos percentuais. No caso das empresas, o recuo foi de 0,3 ponto percentual, para 16,8 pontos percentuais.

O prazo médio dos empréstimos, em dias corridos, ficou em 538 dias para as pessoas físicas, um aumento de sete dias em relação março. Para as empresas, o aumento foi de um dia, para 287 dias.

Deixe seu Comentário

Leia Também

FAMOSIDADES
Luan Santana e Jade Magalhães terminam noivado de 12 anos
CORONAVIRUS NOS ANIMAIS
Gato é o primeiro animal no Brasil que testa positivo para o Coronavirus
ABSURDO
Enfermeiros, fisioterapeuta e médico são afastados após denúncia de estupro na UTI
BRASIL - 153.905 MORTES
Brasil registra 10,9 mil novos casos de covid-19 em 24 horas
AUXILIO EMERGENCIAL
Caixa paga hoje auxílio emergencial de R$ 300 a 1,6 milhão do Bolsa Família
BRASILEIRÃO
Com possível 'adeus' de Soteldo, Santos vence o Coritiba fora de casa
HORÁRIO DE VERÃO
HORÁRIO DE VERÃO: Brasil não terá horário de verão pelo segundo ano consecutivo
GOVERNO NA CONTRA-MÃO
Bolsonaro: Vacina contra a covid-19 não será obrigatória
BRASIL -152.460 MORTES
Covid-19: Brasil tem 713 óbitos e 28.523 novos casos em 24h
INSS - BLOQUEIO
INSS prorroga interrupção de bloqueio de benefícios