Menu
BANNER EMAGRECEDOR VICENTINA
terça, 13 de abril de 2021
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
Brasil

Juros cobrados por bancos sobem pela 1ª vez desde março

26 Out 2004 - 13h30

A taxa média de operações de crédito acompanhou o aumento da taxa Selic em setembro (de 16 para 16,25%) e subiu pela primeira vez em seis meses, segundo dados do Banco Central divulgados nesta terça-feira.

A taxa média para empréstimos bancários chegou a 45,1% em setembro, contra 43,9% em agosto. Trata-se da primeira elevação desde março.
Como a Selic voltou a subir em outubro, para 16,75%, o juro para o consumidor deverá continuar em ascensão.

As pessoas jurídicas estão pagando uma conta maior, segundo o BC. Em setembro, o juro pago por elas em operações de crédito foi de 28,8% ao ano para 30,4%.

A autarquia diz que o movimento refletiu a variação do dólar.

Para a pessoa física, a taxa média ficou praticamente estável (subiu de 63,1% para 63,2% ao ano). No crédito pessoal, porém, houve aumento de 0,1 ponto percentual, chegando a 74% ao ano. A taxa média cobrada do tomador final subiu de 43,9% ao ano em agosto para 45,1% no mês seguinte.

O volume de crédito do sistema financeiro aumentou em setembro em razão de operações relativas à safra agrícola e da demanda sazonal do setor produtivo antes da atividade de final de ano.

A base monetária (dinheiro em circulação) do mês de setembro aumentou 0,9% e atingiu o total de R$ 73,198 bilhões, considerando-se a média dos saldos diários. O saldo de papel-moeda registrou crescimento de 1,4% e somou R$ 50,236 bilhões, enquanto as reservas bancárias diminuíram 0,2%, com volume de R$ 22,961 bilhões.

O relatório do BC adianta, também, que houve expansão de 1,4% das operações de crédito no mês passado, e o volume total chega a R$ 460,3 bilhões, equivalentes a 26,3% do Produto Interno Bruto (PIB), contra 26% no mês anterior e 25,4% em setembro do ano passado.

O resultado se deve, principalmente, à demanda por recursos para formação de estoques para vendas de fim de ano e pelos empréstimos para plantio da safra agrícola 2004/2005, apesar de o custo médio das operações de crédito com recursos livres ter aumentado 1,2 ponto percentual, situando-se na média de 45,1% ao ano.

O destaque ficou com o volume de crédito do sistema financeiro com recursos livres, que totalizou R$ 263,3 bilhões, uma alta de 1,9% contra agosto.

O spread - diferença entre o custo de captação dos bancos e a taxa cobrada do tomador final - aumentou de 27,5 pontos percentuais em agosto para 27,7 pontos em setembro.

 

 

Invertia

Deixe seu Comentário

Leia Também

DESESPERADOR
Covid-19: Brasil registra 3.808 mortes em 24 horas
EXEMPLAR
Cidade modelo que vacinou 64% da população vê casos de covid-19 caírem 78%.
NOVO CÓDIGO DE TRANSITO
Novo Código de Trânsito entra em vigor na segunda-feira; veja mudanças
LOCKDOWN É A SOLUÇÃO?
Araraquara X Bauru: dois retratos do Brasil com e sem lockdown contra a covid-19
AGRICULTURA SUSTENTAVEL NO MUNDO
II Congresso Mundial de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta deve receber 1 mil inscrições
MORTANDADE
Brasil bate marca de 4 mil mortes por Covid registradas em um dia pela 1ª vez
COPA LIBERTADORES
Santos vence o San Lorenzo na Argentina e abre vantagem por vaga nos grupos da Libertadores
FATALIDADE
Técnico de informática morre após levar choque a partir de fone de ouvido
CANALHA
Pai comete estupro e diz que filha precisa saber "como é ter um homem"
SOB INVESTIGAÇÃO
Cantor gospel e pastor é encontrado morto e amarrado em árvore