Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quarta, 16 de junho de 2021
Busca
Brasil

Juíza proíbe participação de jovens com menos de 16 anos na Parada Gay

19 Nov 2009 - 18h02
Crianças e adolescentes até os 16 anos não podem participar da 8ª Parada Gay que acontece amanhã, em Campo Grande. Adolescentes entre os 16 e os 18 anos de idade só podem ir à passeata acompanhados de um dos pais ou do responsável legal. A decisão saiu há pouco, na Portaria 01/2009 da juíza Katy Braun do Prado, titular da Vara da Infância, Juventude e Idoso da Comarca de Campo Grande.

Nas considerações que antecedem sua decisão, a magistrada diz que a medida é para defender os direitos das crianças e adolescentes, preconizados na Constituição Federal e no ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente). O artigo 71 Estatuto, diz que a criança e o adolescente têm direito à informação, cultura, lazer, esportes, diversões, espetáculos e produtos e serviços “que respeitem sua condição peculiar de pessoa em desenvolvimento”.

A juíza manda a Polícia Militar, o Ministério Público e o Conselho Tutelar fiscalizar e zelar pelo estrito cumprimento da norma, e determina que a portaria seja fixada em locais públicos para que todos tenham ciência.

Se o jovem for flagrado na Parada Gay, a punição deve ser aplicada contra os pais, prevê a juíza, ao indicar o artigo 249 do ECA como referencial para a penalidade. Os pais podem ser multados em até 20 salários mínimos por deixarem os filhos participar da passeata.

Polêmica

É a primeira vez que a Justiça disciplina a participação popular na Parada Gay, evento que acontece em várias cidades do País e tem como objetivo o combate à homofobia. No Rio de Janeiro os pais costumam levar as crianças para participar da passeada, as autoridades também marcam presença.

“Em um primeiro momento demonstra o conservadorismo de nossa sociedade”, declarou o presidente do CDDH (Centro de Defesa dos Direitos Humanos) Paulo Ângelo. Ele considerou a decisão arbitrária, porém não quis tecer mais comentários antes de conhecer o inteiro teor do documento.

Paulo Ângelo lembra que Mato Grosso do Sul se destaca em nível nacional na adoção de medidas conservadoras, como o toque de recolher (que proíbe adolescentes nas ruas à noite), a liberação do uso de armas de fogo. “Essa medida leva de novo Mato Grosso do Sul ao cenário nacional”, disse.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

COPA X VIRUS
'Desse jeito, o vírus vai levantar a taça', diz deputado após 52 infectados na Copa América
FAMOSIDADES
Apresentador mostra fotos de viagens românticas com filha de Faustão e se declara
SEIS DIAS DE TERROR
Homem mata uma família e aterroriza moradores em seis dias de fuga deixando rastros de crimes
TRISTEZA E COMOÇÃO
Jovem engenheiro morre em acidente com moto e comove cidade
MUI AMIGO
Homem obriga mulher de amigo a fazer sexo oral e leva surra em delegacia
DOENÇA DO SÉCULO
Homem de 33 anos deixa carta de despedida e tenta pular de ponte
ABSURDO
Família registra boletim de ocorrência após vitima de covid ser sepultado em cemitério errado
ANTECIPAÇÃO
Governo antecipa pagamento de parcelas do auxílio emergencial
918d8b7fa56ee0a828ae4ad908fedeb3 ATENTADO AO PUDOR
Casal é flagrado fazendo sexo em plena praça pública no dia dos Namorados
TRAGEDIA NA RODOVIA
Jovem morre após desviar de buraco e cair com carro em córrego