Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quinta, 28 de janeiro de 2021
Busca
Brasil

Judiciário se prepara para o Mutirão Carcerário em MS

23 Mar 2011 - 08h19Por Diário MS

O juiz auxiliar da presidência do CNJ, Márcio Fraga, reuniu-se na semana passada com membros do poder judiciário de Mato Grosso do Sul para discutir a realização dos mutirões carcerários ao longo de 2011. De início, o magistrado salientou que a linha de atuação nos mutirões carcerários assenta-se em três eixos bem definidos, quais sejam: a) efetividade da justiça criminal – diagnóstico das varas criminais e de execução penal; b) garantia do devido processo legal – revisão das prisões; c) reinserção social – projeto começar de novo.
Os trabalhos terão início no dia 27 de abril, sob a coordenação do CNJ, do CNMP e do TJMS, e contará com a participação do Ministério Público Estadual, da Ordem dos Advogados do Brasil, da Defensoria Pública e da Secretaria de Justiça e Segurança Públicas.
Pela sistemática adotada, serão examinados todos os inquéritos e processos de presos provisórios, para decidir quanto à manutenção ou não da prisão. Também serão reexaminados todos os processos de presos condenados – definitivos ou provisórios – dos regimes fechado, semiaberto, aberto e prisão domiciliar, decidindo quanto à possibilidade de concessão de benefícios da Lei de Execução Penal. Não estarão incluídos no mutirão, contudo, os feitos em que há aplicação de medidas de segurança, nem aqueles referentes a atos infracionais.
Durante a reunião, ficou decidido que haverá um único pólo na Comarca de Campo Grande, onde será instalada a Secretaria do Mutirão e para onde serão remetidos todos os processos de execução do Estado. O Tribunal de Justiça designará 8 (oito) magistrados para que auxiliem nos trabalhos. A Defensoria Pública e o Ministério Público também designarão membros em número suficiente para o atendimento da demanda do mutirão. O objetivo é concluir os trabalhos em 20 (vinte) dias úteis.
Com relação aos processos de presos provisórios, estes serão examinados pelos próprios juízes que os presidirem. Ou seja, todos os magistrados do Estado com jurisdição criminal reexaminarão os processos, decidindo pela manutenção ou não da segregação cautelar de todos os presos do Estado.
Outro enfoque importante do mutirão carcerário será a verificação de cálculos de penas e a existência de lançamentos incorretos, a fim de que sejam detectadas as dificuldades estruturais de cada unidade. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

TURISMO 2021
Turismo 2021: O que esperar do Turismo Brasileiro no próximo ano?
SUA SAÚDE
Carnes de bichos selvagens podem transmitir parasitas, vírus e até matar
SEU BOLSO
Petrobras reajusta gasolina e diesel em 5% a partir desta quarta-feira
SONHOS INTERROMPIDOS
Pais perdem filho de 7 anos em tragédia na BR-376: "Passaram o dia montando a casa para receber ele"
AUXILIO POPULAÇÃO
Governo federal aprova auxílio emergencial para 196 mil pessoas
UTI LOTADAS
13 crianças com covid estão em estado grave em Cuiabá
ESTUPRO DE VULNERÁVEL
Mãe descobre estupro ao desconfiar que filha de 12 anos tinha ciúmes do padrasto
VIRUS A SOLTA
Caixão com corpo que tinha identificação de risco biológico por Covid é achado em estrada
TRAGEDIA NA RODOVIA
Jovem fez vídeo antes de morrer em acidente no Paraná: 'Devagar, motora'
FATALIDADE
Padre cai de pedra em cachoeira e corpo é encontrado em poço