Menu
SADER_FULL
quarta, 22 de setembro de 2021
Busca
Brasil

João Paulo II será 1º papa em séculos a ser beatificado pelo sucessor

15 Jan 2011 - 10h06Por Agência EFE

A beatificação de João Paulo II é um acontecimento sem precedentes, já que nos últimos dez séculos da Igreja Católica nenhum papa beatificou seu antecessor, como ocorrerá em 1º de maio, quando Bento XVI vai fazê-lo com Karol Wojtyla.
É o que destaca nesta sexta-feira o jornal do Vaticano "L"Osservatore Romano", que ressalta que é preciso buscar na Idade Média casos similares.

O jornal afirma que Pietro del Murrone, o eremita que foi eleito papa com o nome de São Celestino V em 1294 e renunciou vários meses depois, foi proclamado santo em 1313, 20 anos após sua morte. No entanto, isso foi feito por seu terceiro sucessor.

As santidades de Leão IX (1002-1054) e de Gregório VII (1020-1085) foram reconhecidas imediatamente após suas mortes.

O último papa proclamado santo foi Pio X (1835-1914), que foi canonizado em 1954, já nos tempos modernos.

O número de papas que foram canonizados ao longo da história é de 78, enquanto outros dez foram beatificados.

Praticamente todos os bispos de Roma foram santificados até o século VI, entre eles São Dâmaso I (366-384).

A partir desse século, no entanto, caiu o número de pontífices proclamados santos. Entre esses poucos esteve Gregório I, conhecido como "Magno", cujo Pontificado se estendeu entre 590 e 604.

Durante a Idade Média, apenas dois papas foram santificados no século XI (Leão IX e Gregório VII) e um no século XIII (Celestino V).

Pio V foi o único do Renascimento a ser canonizado e em seu Pontificado (entre 1566 e 1572) se deu a vitória cristã na Batalha de Lepanto e a excomunhão da rainha Elizabeth I da Inglaterra.

Depois disso, só no século passado outro papa (Pio X) voltou a ser santificado.

Já o primeiro papa beatificado foi Victor III, cujo Pontificado só durou pouco mais de um ano (de 1086 a 1087).

Seu sucessor, Urbano II, também foi beatificado, assim como Eugenio III (s.XII), Gregório X (s. XIII), Inocêncio V (s. XIII), Bento XI (s. XIV), Urbano V (s. XIV) e Inocêncio XI (s. XVII).

Pio IX e João XXIII foram os dois últimos papas a ser beatificados, ambos por João Paulo II em 3 de setembro de 2000.

O primeiro deles exerceu seu Pontificado entre 1846 e 1878 - o segundo mais longo da história - e proclamou os dogmas da Imaculada Conceição de Maria, em 1854, e a infalibilidade do papa durante o Concílio Vaticano I, em 1870.

João XXIII (Angelo Giuseppe Roncalli), cujo Pontificado exerceu entre 1958 e 1963, ficou tão famoso por sua bondade que, dois anos após sua morte, quiseram canonizá-lo durante o Concílio Vaticano II, que ele tinha convocado.

Atualmente se encontra aberto o processo de beatificação de Pio XII (1939-1958) e Paulo VI (1963-1978).

João Paulo II antecipará os dois e será beatificado mesmo antes do período de cinco anos após sua morte, como contempla a normativa vaticana.

Embora no início de seu Pontificado, Bento XVI estivesse decidido a não celebrar beatificações (apenas de canonizações), resolveu abrir mais uma exceção e proclamará Karol Wojtyla beato, confirmou o Vaticano nesta sexta-feira.

Durante sua visita ao Reino Unido em setembro do ano passado, também beatificou o cardeal John Henry Newman (1801-1890), considerado um dos "pais espirituais" do Concílio Vaticano II.

Deixe seu Comentário

Leia Também

HOMICIDIO X SUICÍDIO
Marido mata esposa e tira própria vida; criança de 3 anos pede socorro a vizinho
NEGLIGÊNCIA
Criança de 2 anos ao volante mata prima de 3 anos atropelada
CARROS SEMINOVOS
Como fazer uma boa escolha de veículos seminovos
LUTO NA TV
Ator Luis Gustavo morre aos 87 anos, vítima de câncer
EM DECLINIO
Covid-19: Brasil registra 21,2 milhões de casos e 590,7 mil mortes
TSUNAMI NO BRASIL?
Brasil pode ser atingido por tsunami; entenda
SERPENTE
Rapaz de 18 anos é atacado por jararaca durante pescaria
TRIBUNAL DO CRIME
Traficantes enterram mulher viva para vingar denúncia
TEMPESTADE
Temporal derruba árvore sobre carros e deixa bairros no escuro
VOLTOU A SUBIR
Covid-19: ministério registra 34,4 mil casos e 643 mortes em 24 horas